Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Robson Gracie, ícone do jiu-jítsu brasileiro, morre aos 88 anos

Além do jiu-jítsu, Robson Gracie também teve atuação na política brasileira

Redação Publicado em 29/04/2023, às 13h10

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Robson Gracie (Foto: Reprodução)
Robson Gracie (Foto: Reprodução)

Um dos maiores nomes do jiu-jítsu brasileiro, Robson Gracie morreu aos 88 anos na última sexta, 28. Quem confirmou a informação foi Kyra Gracie, neta do ex-lutador. Até o momento, a causa da morte não foi revelada.

"Hoje o jiu-jítsu se despede do Grande Mestre Robson Gracie, patriarca da Família Gracie e faixa vermelha," escreveu Kyra no Instagram. "Eu me despeço do meu eterno avô amado que é uma das pessoas mais importantes da minha vida." Ele teve sete filhos: Charles, Renzo, Keila, Ralph, Flávia, Robson Gracie Jr e Ryan Gracie.

+++LEIA MAIS: Michael J. Fox revela piora no quadro de Parkinson: 'Não chegarei aos 80'

Nascido no dia 16 de janeiro de 1935, no Rio de Janeiro, Robson Gracie começou na luta nos anos 1950, após grande inspiração do tio Hélio Gracie e do irmão Carlson, e estreou no Vale-Tudo, segundo informações do Combate.

Muito além dos ringues e tatames, Gracie também teve participação na política: chegou a ser guarda-costas de Leonel Brizola quando era deputado federal e foi até preso por 64 dias e torturado em 1964, quando Brasil passava pela ditadura militar. O ex-lutador também foi presidente da Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (SUDERJ) quando Brizola era governador do Rio, nos anos 1980.

+++LEIA MAIS: Foo Fighters: Filho de Roger Taylor, do Queen, substituirá Taylor Hawkins?Robson Gracie foi responsável pelo retorno de Vale-Tudo no estado do Rio de Janeiro e ainda virou presidente da Federação de Jiu-Jitsu do Estado do Rio de Janeiro (FJJ-Rio).