Show do Kiss talvez fosse melhor em hologramas do que com banda atual tocando, diz ex-Judas Priest

Tim "Ripper" Owens acredita que o uso recorrente da tecnologia seja futuro do entretenimento

Redação Publicado em 09/07/2019, às 14h37

None
Tim "Ripper" Owens (Foto:Marc Müller/DPA/AP Images)

Tim "Ripper" Owens, ex-vocalista do Judas Priest, revelou ao Rock Titan que talvez fosse melhor assistir a um holograma dos integrantes do Kiss do que ver a banda atual nos palcos.

Depois de se envolver com a produção da turnê Dio Returns, o cantou mudou de opinião em relação ao uso da tecnologia pela indústria musical. "Não precisamos de um holograma para seguir o legado de Ronnie James Dio - seu legado é a sua música, e sempre a teremos. O holograma é apenas um motivo para ir a um show e se divertir", afirma.

A produção de Dio Returns usa áudio das performances realizadas pelo músico ao longo de sua carreira enquanto a banda Dio Disciples toca ao vivo.

+++ LEIA MAIS: Rob Halford brinca em assistir sua história no cinema: "Primeiro de peruca, depois careca"

De acordo com Owens, devemos nos preparar para encontrar mais aparições como a de Dio, falecido em 2010: "Quando alguém da indústria cinematográfica morre, eles criam uma pessoa digital para terminar o filme. É disso que se trata; é assim que eles avançam. Mas, às vezes, eu acredito que seria melhor assistir a um holograma do Kiss do que à própria banda."

"Eu realmente acho que é o que vai acontecer daqui pra frente", acrescentou. "Não é o futuro da música, mas é o futuro do entretenimento. Outra maneira de sair e se divertir."

+++ SESSION ROLLING STONE: Cynthia Luz acredita no amor puro com "Não Sou Sem Nós"