Queen: perder Freddie Mercury foi uma 'dor horrível' para Brian May

Brian May discutiu a dinâmica familiar do Queen e revelou o 'luto imenso' pelo qual passou após a morte de Freddie Mercury

Marina Sakai (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 16/08/2021, às 17h47

None
Freddie Mercury e Brian May (Foto: Reprodução /Instagram)

Queen, uma das maiores bandas de rock de todos os tempos, completou 50 anos de história em 2020. Em entrevista ao Planet Rock, o lendário guitarrista Brian May revelou como os quatro integrantes eram quase uma família e a morte do vocalista Freddie Mercurycausou um "luto imenso" e levou à separação dos restantes. 

De acordo com informações do Express UK, o último disco do Queen com Freddie Mercury foi Innuendo (1991), mas a saúde do vocalista declinava desde a década de 1980. Na época, Brian May também trabalhava nas próprias composições, como a música "Driven By You." O guitarrista ofereceu a canção a Mercury.

+++LEIA MAIS: 'Inspirador', diz Brian May sobre Freddie Mercury nos últimos dias de vida

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Brian Harold May (@brianmayforreal)

 


Então, o líder da banda respondeu: "Brian, você cantando está ótimo. Além disso, sei onde você está indo, não precisa se envergonhar, não estarei por perto por muito mais tempo. Você precisa resolver sua carreira solo, é um bom lugar para começar." May encarou o comentário como uma bênção para lançar Back To The Light (1992), seu primeiro disco solo.

Mercury morreu em novembro de 1991, aos 45 anos e o ocorrido impactou muito Brian May, Roger Taylor e John Deacon, que nunca retornou ao Queen e se aposentou em 1997. "Foi horrível. Só queria ir embora e, se você falar com Roger, ele te dirá o mesmo. Não sabíamos lidar com aquilo. A única maneira de seguir era deixar o Queen e não tocar mais no assunto, porque o luto era imenso," disse o guitarrista.

+++LEIA MAIS: Como Freddie Mercury ajudou Brian May a começar carreira solo?

Em seguida, May disse: "O Queen era a nossa vida, nossa família. Como viram no filme Bohemian Rhapsody [2018], muita coisa aconteceu, mas a verdade fundamental era essa — éramos uma família." O guitarrista também traçou um paralelo com a própria vida pessoal e a relação com o pai, quem se decepcionou quando o filho decidiu seguir a carreira musical. Os dois não se falaram por 18 meses. "Foi muito sério. Não entendia por que eu estava jogando fora a minha educação. [...] Você sai e pensa que sabe ser forte sozinho, mas todos precisam da família."


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!