Pulse

Dumbo, Mogli e outros clássicos recebem aviso de conteúdo ofensivo no Disney+

Filmes que apresentam algumas "representações culturais desatualizadas" foram indicados como conteúdo sensível

Redação Publicado em 14/11/2019, às 16h00

None
Aviso de conteúdo sensível do filem Dumbo no Disney+ (Foto: Reprodução)

A Walt Disney produz conteúdo há quase 100 anos. Devido às mudanças culturais do período, a Disney precisa - várias vezes - lidar com alguns problemas: representações culturais consideradas normais na época, mas vistas atualmente como inapropriadas. Como solução, o Disney+, serviço de streaming da gigante do entretenimento, inseriu avisos de "representações culturais desatualizadas" em alguns de seus conteúdos antigos.

+++LEIA MAIS: Por que filmes do Homem-Aranha não estão no catálogo no Disney+?

Um dos exemplos de conteúdo considerado extremamente sensível nos dias atuais é A Canção do Sul, filme de 1946 com apologias à escravidão. A produção é tão problemática que não está disponível - e provavelmente nunca estará - no Disney+.

No entanto, outros conteúdos com controvérsias menores estão disponíveis na plataforma. A Disney solucionou o problema adicionando um aviso de "representação cultural desatualizada" nos filmes e animações antigas - como Dumbo, Mogli e Fantasia

+++LEIA MAIS: Episódio com Michael Jackson é excluído do catálogo de Os Simpsons no Disney+

O filme do elefante de circo, por exemplo, possui diversas cenas controversas, começando pela música "Song of the Roustabouts". Ela é trilha sonora para a cena de trabalhadores afro-americanos armando a tenda do circo e cantando sobre a falta de educação deles e a inclinação para a bebida.  

Nem o famoso Mickey Mouse escapa dos avisos criados pelo Disney+. Apesar de muitos materiais não possuírem qualquer conteúdo problemático, o comunicado de conteúdo sensível se faz presente, demonstrando a estratégia da empresa em cobrir todos os conteúdos antigos. 

+++LEIA MAIS: Disney+ estreia com problemas técnicos no dia do lançamento, reportam assinantes

Muitos podem acreditar que a melhor solução para o Disney+ teria sido simplesmente cortar todos os conteúdos problemáticos da plataforma. No entanto, tirá-los abriria a possibilidade do mesmo material voltar contra a empresa, principalmente porque a Disney não estaria assumindo seus erros, apenas postergando-os. 

Além disso, os conteúdos já produzidos - mesmo que ofensivos - fazem parte da história do audiovisual, e devem ser preservados (e os erros cometidos não serão mais cometidos).

Para os que não querem ser afetados por descrições insensíveis, o Disney+ possibilita facilmente aos assinantes acharem e evitarem tais conteúdos.