Netflix vai reduzir tabagismo em filmes e séries originais, incluindo Stranger Things

A decisão foi tomada após a divulgação do resultado de um estudo sobre o impacto que a presença do cigarro tem nos espectadores

Redação Publicado em 04/07/2019, às 14h27

None
David Harbour como Jim Hopper (Foto: Netflix/Reprodução)

A Netflix prometeu diminuir a quantidade de cenas que retratam o tabagismo em suas produções originais, incluindo em Stranger Things.

A medida está de acordo com a nova pesquisa realizada pela Truth Initiative, uma organização sem fins lucrativos que estudou a influência das “representações do cigarro” no hábito dos telespectadores.

A análise aponta que a segunda temporada de Stranger Things, em comparação com a primeira, aumentou a exibição do fumo em 44%, subindo de 182 para 262 cenas.

Diante dos números, o serviço de streaming informou à Variety que se compromete a excluir o uso do tabaco, exceto por “razões de exatidão histórica ou factual” nos programas não recomendados para menores de 14 anos.

Já em projetos com classificações mais altas, o uso de cigarros ou cigarros eletrônicos será evitado, “a menos que seja essencial para a visão criativa do artista.”

“A Netflix apoia fortemente a expressão artística”, disse um porta-voz da empresa. "Nós também reconhecemos que fumar é prejudicial e que, quando retratado de forma positiva, pode influenciar os jovens."

Robin Koval, o presidente da Truth Initiative, defendeu que a televisão se tornou o novo comercial de cigarros: "Estamos vendo um ressurgimento das imagens do tabagismo que glamuriza e renormaliza um vício mortal, colocando os jovens na mira da indústria do tabaco."

+++ SESSION ROLLING STONE: Cynthia Luz acredita no amor puro com "Não Sou Sem Nós"