Nicole Kidman precisou pedir demissão para que Joaquin Phoenix fosse contratado para filme de 1995

Carreira do ator deslanchou após atuar no filme

Redação Publicado em 29/09/2020, às 08h55

None
Nicole Kidman em Os Outros (Foto: Reprodução/Sentient Entertaiment) e Joaquin Phoenix discursa após receber Oscar por Coringa em 2020 (Foto: Chris Pizzello/Invision/AP)

Antes de ser um ator de renome, Joaquin Phoenix, no começo da carreira, era bastante conhecido por atuar em filmes teen como Corrida Contra o Tempo (1987) e O Tiro Que Não Saiu pela Culatra (1989). O filme que representou o ponto de virada na carreira dele foi Um Sonho sem Limites (1995). Porém, ele não conseguiu o trabalho tão fácil, porque Nicole Kidman precisou pedir demissão para o ator ser contratado. A informação é do Yahoo Entertainment.

"Eu me lembro [do diretor Gus Van Sant] e eu tendo que lutar para conseguir a escalação de Joaquin. Lembro que ambos tivemos que sair do filme para que ele fosse escalado", revelou Kidman em entrevista de 2014 ao site.

+++LEIA MAIS: E a Keira Knightly, que jurava que tinha sido a Padmé, nas prequels de Star Wars?

Um Sonho sem Limites é baseado no livro homônimo de Joyce Maynard e conta a história de Suzanne Stone, repórter do tempo em um canal de TV, que seduz um estudante do ensino médio, interpretado por Joaquin Phoenix, para assassinar o marido dela, vivido por Matt Dillon.

Após trabalhar no filme, a carreira de Phoenix cresceu, tanto que ele conseguiu uma indicação ao Oscar apenas cinco anos depois, por Gladiador (2000).

+++LEIA MAIS: Criadores de Friends finalmente explicam piada de Rachel que ninguém entendeu até hoje

Além de falar sobre o colega, Nicole Kidman também falou sobre as primeiras reações dela sobre o longa. "Achei [o filme] tão engraçado quando li o roteiro", comentou a atriz. "Eu saquei a sátira, eu entendi a sátira, porque acho que muito do humor australiano é satírico. Eu cresci com muito esse tipo de humor".


+++ MANU GAVASSI: 'SE A MÚSICA SÓ FOR UMA FÓRMULA, É VAZIA E NÃO EMOCIONA' | ENTREVISTA ROLLING STONE