The Witcher: as 9 maiores diferenças entre a série da Netflix e os videogames [LISTA]

A produção e os games adaptam o mesmo material original, mas tomam liberdades diferentes

Redação Publicado em 27/12/2019, às 13h52

None
Henry Cavill como Geralt de Rívia (foto: Reprodução/ Netflix)

A série da Netflixde The Witcher possui muitas similaridades com os jogos feitos pelo estúdio polonês CD Projekt Red. Mesmo que as produções não estejam diretamente relacionadas, ambas adaptam o conteúdo do mesmos romances escritos pelo autor Andrzej Sapkowski.

Mesmo assim, várias decisões individuais foram tomadas, e que tornam as obras complementares. Listamos algumas das diferenças, organizadas pelo Game Rant.


O nome do bardo

Nos games, o bardo que narra as aventuras de Geralt se chama Dandelion. Já tanto nos livros quanto na série foi mantido o nome original: Jaskier. Na prática, porém, nada muda, a personalidade e piadas do personagem são mantidos fielmente no caso dos games.

+++LEIA MAIS: The Witcher: Henry Cavill revela como ficou tão definido para interpretar Geralt - e não foi apenas musculação


Diversidade no elenco

Algo notável nos games de The Witcher é a falta de personagens de outras etnias, algo que não acontece na série. Grandes personagens como as feiticeiras Yennefer e Fringilla são interpretadas pelas atrizes indo-britânica e afro-britânica Anya Chalotra e Mimi Ndiweni, o que torna o elenco mais inclusivo.


Ninguém joga Gwent na série

Um dos hobbies de Geralt emThe Witcher 3 é colecionar cartas de Gwent, o jogo mais popular do reino de Teméria. A popularidade desse mini-game foi tanta que ele ganhou um título próprio para PC, mas ele não existe na série da Netflix, e nem nos livros.


Geralt anda com apenas uma espada

Nos games, uma marca registrada do protagonista é carregar duas espadas nas costas, uma de aço (para matar humanos), e uma de prata (para matar monstros). Já na série, o personagem de Henry Cavill carrega duas lâminas sim, mas apenas uma nas costas, e outra numa bolsa na sela da fiel égua Plotka.

+++LEIA MAIS: Atriz de The Witcher fala sobre a dolorosa realidade de interpretar Yennefer antes da transformação


Triss Merigold é bem diferente

A feiticeira tem um visual bem diferente dos games, ao começar pelo cabelo, castanho, em vez do vermelho. Ela também é um grande interesse romântico de Geralt nos jogos, e na série ainda não existe essa sugestão.


Geralt é mais expressivo na série 

Apesar do boato de bruxos não terem emoções, o Geralt de Henry Cavill contradiz muito mais isso do que a versão dos jogos. Ele sorri mais, ri em alguns momentos, e fica visivelmente irritado.


Poucos bruxos

Os games falam muito da existência de diversos bruxos, com várias escolas de treinamento (escola do lobo, gato, víbora, etc.) e diferentes habilidades. Na série, apenas outro bruxo aparece, e é rapidamente morto pela Striga que ele caçava.


Geralt usa apenas três sinais

Uma marca registrada do bruxo são as magias simples mas efetivas, os sinais. O jogador pode usar todos os sinais a vontade. Mas na série Geralt usa majoritariamente Aard (um golpe telecinético que empurra o inimigo), uma vez o Quen (um escudo/barreira), e Axii, de controle mental. Yrden, a armadilha mágica, e Igni, um canhão de chamas, não aparecem na série.


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'