Rebelde: 4 motivos para assistir (e 1 para não assistir) ao reboot da Netflix [LISTA]

O reboot de Rebelde estreou na Netflix em 5 de janeiro com muitas referências ao original, assim como atualizações

Redação Publicado em 16/01/2022, às 11h00 - Atualizado em 18/01/2022, às 18h05

None
Elenco de Rebelde na Netflix (Foto: Reprodução/Instagram)

Sucesso mundial nos anos 2000, a telenovela mexicana Rebelde ganhou uma nova versão na Netflix em 5 de janeiro para mostrar as histórias de novos alunos do inesquecível Elite Way School, escola frequentada pelos personagens da produção original.

Repleto de referências ao seriado, assim como atualizações e mudanças de elenco, o reboot de Rebelde está no Top 10 do Brasil desde o lançamento — e não é apenas coincidência. Com mistura de suspense, dramas familiares e (muita) música, a produção apresenta uma releitura repleta de pontos positivos.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Rebelde Netflix (@soyrebeldenetflix)

+++ LEIA MAIS: Rebelde: Quem é quem no reboot da Netflix?

Um dos destaques da trama é, certamente, a atriz brasileira Giovanna Grigio, que se juntou à série como uma aluna veterana do Elite Way School — e fala um portunhol, o qual, certamente, agradou aos espectadores do país.

No entanto, a série também deixa algumas questões pendentes que podem prejudicar a experiência do espectador. Caso ainda não tenha conferido o reboot de Rebelde, confira quatro motivos para assistir (e um para não assistir) à produção:

+++ LEIA MAIS: Rebelde: Por que uniformes são diferentes dos originais no reboot da Netflix?


Motivos para assistir:

Nostalgia

Para os espectadores do Rebelde original, o seriado da Netflix possibilita uma nostalgia indiscutível. Além de citarem os personagens originais diversas vezes, as atrizes Estefanía Villarreal e Karla Cossío voltam ao papel de Celina Ferrer e Pilar Gandía, respectivamente, para a nova trama do streaming.

A nostalgia é potencializada pelas diversas músicas do original apresentadas ao longo dos episódios da série. Hits como a icônica “Rebelde”, “Sálvame”, “Solo Quédate en Silencio”, “Tras de Mi”, “Nuestro Amor” ganham potentes versões que, apesar de não substituírem as originais, aquecem o coração de qualquer fã.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Rebelde Netflix (@soyrebeldenetflix)

+++LEIA MAIS: Rebelde: trailer, elenco, estreia, uniformes e tudo que sabemos sobre reboot da Netflix [LISTA]

Representatividade

O reboot de Rebelde apresenta uma narrativa cercada por debates atuais, além de trazer um elenco de diversas nacionalidade e sexualidades — tudo isso sem o tabu ou estereótipos. Vale lembrar que, na produção original, esses assuntos eram raramente discutidos. 

No elenco principal, por exemplo, Andi (Selene) e Emília (Giovanna Grigio) formam um casal, além de Luka (Franco Masini) se identificar como queer. Ainda, a produção traz a brasileira Giovanna Grigio, o colombiano Jerónimo Cantillo e o argentino Franco Masini — possibilitando maior representatividade para os espectadores da América Latina.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Rebelde Netflix (@soyrebeldenetflix)

+++LEIA MAIS: Rebelde: Elenco celebra representatividade LGBTQ+ em série da Netflix

Atualização

Como diz o nome “reboot”, a trama se passa no mesmo universo de Rebelde, mas com uma atualização bem-feita do original. Dessa forma, o seriado da Netflix se torna uma homenagem certeira da trama original, mas com novidades envolventes.

Um exemplo é o famoso uniforme da escola, que ganha peças sem gênero no reboot de Rebelde, além de destacar a personalidade de cada personagem. Com elementos novos e a quantidade certeira de nostalgia, a série da Netflix é uma atualização eficiente.

+++LEIA MAIS: 6 performances icônicas de Anahí, cantora mexicana e ex-RBD: de 'Ser o Parecer' a 'Fuera'

2ª temporada

Pouco após a estreia, Rebelde foi renovada para uma segunda temporada que dará continuidade aos dramas dos personagens principais da série. Portanto, os espectadores não ficarão sem respostas para os conflitos do último episódio da trama.


Motivo para não assistir:

Final acelerado

Para os que estão acostumados com as longas temporadas do Rebelde original, o reboot da Netflix é bem diferente. A primeira temporada tem apenas oito episódios de, em média 40 minutos.

+++LEIA MAIS: 4 curiosidades sobre Alfonso Herrera, o Miguel de Rebelde: apoio a Lula, embaixador da ONU e mais [LISTA]

A quantidade de episódios mantém um ritmo acelerado que, ao final, acaba deixando algumas pontas soltas. Com pouco tempo para desenvolver algumas questões, o desfecho atropela explicações para entregar um último episódio apressado com um enredo mal desenvolvido.