6 curiosidades sobre a vida dolorosa de Ringo Starr: Do alcoolismo até a morte da primeira esposa

O sucesso ex-Beatle não o privou de infortúnios trágicos e deprimentes; entenda

Redação Publicado em 03/03/2020, às 14h00

None
Ringo Starr (Foto: Evan Agostini / Invision / AP)

Depois de tocar em algumas bandas de rock de Liverpool, Richard Starkey - o Ringo Starr - substituiu o baterista Pete Best nos Beatles e se tornou um dos músicos mais famosos e bem-sucedidos de todos os tempos.

+++LEIA MAIS: Bateria isolada de Ringo Starr em ‘Strawberry Fields’ prova que baterista dos Beatles é melhor do que muita gente pensa

A carreira dele como ex-Beatle o impulsionou, fazendo-o amado e bem-vindo no mundo da música. No entanto, seu sucesso e status não o privaram do lado perturbador e deprimente da vida. Do alcoolismo à morte da primeira esposa, confira, abaixo, 6 curiosidades sobre Ringo Starr (via Grunge):


RINGO STARR TEVE UMA CRIAÇÃO INSTÁVEL

Os Beatles vieram de Liverpool, uma das maiores cidades da Inglaterra e lar das classes médias e trabalhadoras. Mas, enquanto John Lennon, Paul McCartney e George Harrison cresceram em casas que não eram necessariamente ricas, mas ao menos seguras, a educação de Starr foi economicamente instável.

"Ele não andava descalço e esfarrapado", disse Marie Maguire Crawford, vizinha de Starr, em The Beatles - A Biografia, "mas como todas as famílias que moravam em Dingle, ele também lutava para sobreviver."

As circunstâncias tornaram-se ainda mais difíceis porque o pai de Starr abandonou a família quando o músico tinha apenas três anos de idade.

+++LEIA MAIS: Por que os Beatles demitiram o primeiro baterista e escalaram Ringo Starr?


ELE FICOU INTERNADO POR UM ANO

Em 1947, quando Ringo tinha seis anos de idade, seu apêndice se rompeu e ele contraiu peritonite, um processo inflamatório que afeta o revestimento peritoneal. 

A recuperação de Starr durou muito tempo. "Eu fiquei internado por um ano, porque em seis meses eu estava ficando bem, mas me animei e caí da cama", ele disse à Fresh Air. "Então, eu rasguei todos os pontos do meu estômago."

Assim, Starr enfrentou uma cirurgia emergencial e, depois de tanto tempo internado no hospital infantil de Liverpool, acabou perdendo um ano inteiro de aula. Quando saiu, alcançou seus colegas de classe com a ajuda de um tutor.

+++LEIA MAIS: Baixo isolado de ‘Come Together’ prova que Paul McCartney é um dos melhores baixistas de todos os tempos


ELE TEVE TUBERCULOSE

Depois de ser hospitalizado e ter que ralar para passar de ano na escola, Starr foi atacado por problemas de saúde mais duas vezes. Aos 13 anos, ele foi diagnosticado com tuberculose, uma infecção que afeta os pulmões. 

A contração da doença - uma das mais assustadoras e potencialmente mortais da época - foi resultado do "bairro onde eu vivi", disse Starr à Fresh Air. "Tinham, sabe, uns seis ou sete casos nas ruas e as  pessoas estavam morrendo de tuberculose porque não tinha cura." 

Os médicos enviaram Starr para uma "estufa no país", um sanatório para crianças, onde ele podia "respirar um pouco de ar decente" e receber tratamento à base de estreptomicina. Starr passou quase dois anos se recuperando da tuberculose e acabou nunca voltando para a escola.

+++ LEIA MAIS: "Ob-La-Di, Ob-La-Da", dos Beatles, é a música pop mais próxima da perfeição; entenda


ELE ENFRENTOU SÉRIOS PROBLEMAS COM ÁLCOOL

O fim dos Beatles em 1970 deixou Starr "absolutamente perdido", como ele contou à People, e o estresse provocado por uma carreira solo instável lhe trouxe "sérios problemas com a bebida", que só se intensificou. 
 
"As coisas pioraram progressivamente, os apagões pioraram. Eu não sabia onde estava, o que havia feito", ele relatou ao VC Repórter. 

Em 1989, Starr foi ao tribunal para interromper a estreia de um disco que havia gravado durante um período especialmente sombrio, no qual ele bebia até 16 garrafas de vinho por dia. 

Starr entendeu que realmente estava viciado em álcool no início dos anos 1980, mas não procurou ajuda porque sentia-se preso profissionalmente. "Eu não sabia como fazer nada sem estar bêbado", ele lembrou à Rolling Stone EUA, acrescentando: "Eu não podia tocar sóbrio, mas também não podia tocar bêbado."

+++ LEIA MAIS: 7 frases marcantes de John Lennon


A PRIMEIRA ESPOSA DELE MORREU DE LEUCEMIA

Ringo Starr conheceu a primeira esposa, Maureen Cox, no Cavern Club, onde os Beatles fizeram sua estreia. "Aqui, eu era uma cabeleireira boba de 16 anos namorando o baterista mais popular de Liverpool", disse Cox ao Le Chroniqueur (via The Daily Beatle) em 1988. 

Os dois se casaram em 1965, tiveram três filhos e o casamento resistiu à tempestade de fama e atenção mundial - mas não para sempre. Cox teve um breve caso com o parceiro de banda do marido, George Harrison, e eles se separaram em meados dos anos 1970.

Starr iniciou um relacionamento com a modelo Nancy Lee Andrews e, de acordo com a primeira esposa de John Lennon, Cynthia Powell, Cox ficou tão arrasada que tentou tirar a própria vida acelerando uma motocicleta contra uma parede. Ela sobreviveu, mas sofreu uma cirurgia estética para corrigir seus ferimentos faciais.

Starr e Cox se casaram novamente - ele com a atriz Barbara Bach e ela com Isaac Tigrett, fundador do Hard Rock Café - mas eles permaneceram cordiais. Na verdade, eles permaneceram tão amigáveis ​​que Starr estava com a ex-mulher quando ela faleceu de leucemia em dezembro de 1994, aos 47 anos.

+++ LEIA MAIS: Como a Beatlemania começou: ouça a audição dos Beatles para a Decca Records


A FILHA DELE COMBATEU UM TUMOR NO CÉREBRO

Durante a década de 1970 - quando os Beatles se separaram - Ringo Starr ao menos teve um motivo para comemorar: o nascimento de sua terceira filha, Lee Starkey. 

Ela operava uma boutique retrô, mas ganhou as manchetes no outono de 1995 por um assunto muito preocupante. Após um colapso e uma hospitalização em Londres, Starkey foi diagnosticado com um tumor no cérebro. 

Após drenar o líquido do crânio, ela foi transferida para o Brigham and Women's Hospital, em Boston, onde foi submetida a uma operação experimental de quatro horas.

O tumor foi totalmente removido e o pai da paciente esteve ao lado o tempo todo. Depois, ele permaneceu em Boston por seis semanas enquanto Starkey fazia oito minutos de tratamento radioativo todos os dias. De acordo com o Boston Herald (via Google Groups), em 2001, o tumor voltou e ela enfrentou mais tratamentos médicos.

+++LEIA MAIS: Técnica de Ringo Starr para tocar bateria é resultado de uma tentativa de exorcismo? Há quem diga que sim

 

 


+++ KAROL CONKA NO DESAFIO 'MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO'