Pulse

Beatle remanescente, Ringo Starr é introduzido ao Hall da Fama do Rock and Roll

Cerimônia também homenageou Green Day, Lou Reed, Joan Jett, Bill Withers, Stevie Ray Vaughan, entre outros

Rolling Stone EUA Publicado em 20/04/2015, às 12h44 - Atualizado às 13h32

Ringo Starr

Ver Galeria
(4 imagens)

Na noite do último sábado, 18, aconteceu a 30ª cerimônia introdutória do Hall da Fama do Rock and Roll, no Cleveland's Public Hall, em Ohio, nos Estados Unidos. Ao lado de Paul McCartney e Yoko Ono, Ringo Starr foi integrado a uma das mais respeitadas listas de todo o mercado musical. Apesar de já fazer parte do seleto grupo enquanto integrante dos Beatles, Starr foi o último membro do quarteto de Liverpool a ser homenageado como artista solo.

Gravação inédita dos Beatles em clube de strip na Alemanha será vendida em leilão.

Em celebração repleta de performances e momentos emocionantes, Starr dividiu a noite com o Green Day, Lou Reed, Joan Jett and The Blackhearts, Bill Withers, Stevie Ray Vaughan and Double Trouble, The Paul Butterfield Blues Band e The "5'' Royales, que também foram imortalizados pelo Hall da Fama do Rock and Roll.

Como é tradição na cerimônia, a nomeação de Ringo foi feita pelo ex-companheiro Paul McCartney, que, ao introduzir o baterista, afirmou que sempre teve o apoio de Starr no processo de composição das músicas dos Beatles. Aos 74 anos – aparentando ser bem mais jovem do que isso -, o homenageado subiu ao palco e, em tom de brincadeira, disse “meu nome é Ringo e eu toco bateria”.

Paul McCartney grava música com banda de Johnny Depp, Alice Cooper e Joe Perry.

Acompanhado de Joe Walsh (Eagles) na guitarra, o ex-Beatle apresentou a faixa "It Don't Come Easy", sucesso dele em carreira solo lançado em 1971. Ao final da canção, McCartney subiu ao palco e, empunhando um baixo, tocou com Starr a emblemática "With a Little Help From My Friends”, dos Beatles. A apresentação terminou com o palco repleto de estrelas, tocando a tradicional “I Wanna Be Your Man”, composição de Lennon e McCartney que foi gravada pelos Rolling Stones.

Tomados pela costumeira atitude punk, o Green Day também foi um dois homenageados da noite. Responsáveis por grandes hits lançados na década de 1990, o trio subiu ao palco para apresentar “American Idiot”. No discurso de agradecimento, Billie Joe Armstrong, vocalista do grupo, agradeceu a presença de todos e destacou a emoção de fazer parte da lista. “É como se a minha coleção de discos estivesse nessa sala”, afirmou Armstrong ante à estrelada plateia do Public Hall em Cleveland, no Estados Unidos.

Fotografias inéditas de Beatles e Rolling Stones estão à venda na internet.

No momento mais emocionado da cerimônia, Patti Smith relembrou momentos marcantes da trajetória de Lou Reed, morto em 2013. A cantora destacou a enorme influência que Reed ainda exerce na música, descrevendo o quão triste foi o dia no qual o compositor de “Walk On The Wild Side” morreu. “Eu estava andando na rua e percebi que muitas pessoas estavam chorando. Dos apartamentos, era possível ouvir as músicas dele, todos estavam escutando os discos de Lou Reed”.

Guitarrista de turnê do Green Day é diagnosticado com câncer nas amígdalas.

Seguindo a lista de homenageados, Stevie Wonder ficou encarregado de introduzir Bill Withers. Aos 76 anos, o cantor, que deixou a música nos anos 1980, foi responsável por sucessos como “Lean On Me" e "Just The Two Of Us”. Sem realizar performances há mais de 30 anos, Withers recebeu auxílio de Wonder e John Legend para cantar "Ain't No Sunshine" e a inesquecível “Lean On”.

Retomando o clima roqueiro da cerimônia, Joan Jett iniciou a apresentação com "Bad Reputation". O momento de êxtase, no entanto, veio quando, acompanhada de Dave Grohl, a cantora tocou "Cherry Bomb”, sucesso maior do The Runaways, banda precursora do rock feito por mulheres.

Em homenagem póstuma, Stevie Ray Vaughan, que morreu em 1990 em um acidente de helicóptero, foi introduzido ao Hall da Fama do Rock and Roll por John Mayer, que classificou a tarefa como “uma enorme honra”, afirmando que Vaughan é “um dos maiores heróis da música”.