Com disco de rock do ano, The Raconteurs está de volta depois de 11 anos: 'É importante viver a vida' [ENTREVISTA]

Atração do Popload Festival, grupo liderado por Jack White e Brendan Benson encerrou hiato e lançou o álbum Help Us Stranger

Pedro Antunes Publicado em 15/11/2019, às 11h30

None
The Raconteurs (David James Swanson / Divulgação)

Brendon Benson atendia ao telefone da cozinha de casa, em Nashville, nos Estados Unidos, "onde o sinal é melhor e o silêncio ajuda", como ele explica. Como é comum nas vésperas de turnês, o artista passou algum tempo sentado olhando para o cômodo enquanto concedia entrevistas à jornalistas de todas as partes do mundo - inclusive para a Rolling Stone Brasil

+++ Discos de The Black Keys e The Raconteurs mostram que o rock está vivo - e tem futuro [ANÁLISE]

Mas para quem já entrevistou Benson outras vezes, há um certo alívio na voz do músico norte-americano. Ele sabe que não vai precisar responder "À PERGUNTA" (assim, mesmo, em letras maiúsculas para dar impacto). Por quase uma década, ele a respondeu de forma evasiva, porque não tinha muito o que falar, mesmo. Oficialmente desde 21 de junho, ele deixou de ser assombrado por esse fantasma que chegava geralmente no final das entrevistas. 

"E aí, alguma novidade sobre o The Raconteurs?", devo ter perguntado a ele, na última entrevista, alguns anos trás. "Isso acontecia com frequência", ri o Benson de 2019, mais leve de não precisar responder à questão. "E não era somente em entrevistas, era em restaurantes, bares, lojas." 

A super banda The Raconteurs, um dos inúmeros projetos musicais de Jack White - e conta também com Patrick Keeler (bateria, do Afghan Whigs) e Jack Lawrence (baixista, The Dead Weather) - está de volta depois de 11 anos. O disco novo, lançado no fim de junho de 2019, se chama Help Us Stranger, e sucede o mais folk Consolers of the Lonely, de 2008. 

+++ ENTREVISTA: Jack White elogia Twenty One Pilots, defende Greta Van Fleet e detalha amizade com Bob Dylan

Help Us Stranger é pancada, álbum de rock (do ano!), com guitarras que se estranham como dois gatos machos em um mesmo ambiente, em uma sinfonia barulhenta que, aos poucos, se conecta - e, quando acontece, que delícia que é ouvir (no caso das guitarras de White e Benson, sim, porque no caso dos gatos, eles devem se atracar muitas vezes até se tornarem amigos). 

"Eu nunca começo um disco sabendo que estou fazendo isso", ele conta, "porque na maior parte das vezes, eu começo a escrever algumas canções, depois faço outras semanas depois mais algumas, e assim vai. De repente, isso se transforma em um disco."

+++ LEIA MAIS: Jack White e Brendan Benson deixam estádio de beisebol para fazer show do Raconteurs e voltam a tempo do final da partida

O caso do Raconteurs foi assim, de certa forma, com a diferença que Benson atua em grupo, não sozinho, como nos seis discos solo dele. "Em algum momento, um mês antes de começarmos a gravar, Jack estava fazendo algum trabalho solo e me chamou para ouvir. No carro, ele tocou uma gravação ainda rústica de "Shine The Light On Me", e pensamos que isso poderia ser uma música do Raconteurs. E comecei a fazer músicas também caso a gente eventualmente fosse gravar um novo álbum."

Ele completa: "Começamos a fazer algumas jams, as coisas funcionaram muito bem. E aqui estamos".

E, nesse lugar que "aqui estamos", sonoramente falando, é bastante diferente (embora soe familiar) daquele visitado pelo Raconteurs anos atrás. E, mesmo por telefone, é quase possível dizer que Benson sorriu do outro lado da linha. "Para mim, isso é um elogio e tanto", ele diz, ao comentar sobre como o Help Us Stranger é um álbum que se difere daquilo que ele e a banda já fizeram.

 "Como artista, é importante que você faça algo que te deixe animado, que realmente te excite. Os artistas não podem querer fazer a mesma coisa. Tem que querer ser relevante, entende?"

Mais importante para Benson, agora, é entender e curtir a atual fase do The Raconteurs. Nem adianta perguntar se existem mais planos para a banda, disco solo ou o que quer que seja. Ele não tem ideia - e também não tem pressa. "Trabalhar em outras coisas ajuda. Viver a vida é importante."

O The Raconteurs vem ao Brasil pela primeira vez para participar do especialíssimo Popload Festival, nesta sexta, 15, no Memorial da América Latina. Veja, abaixo, o horário dos shows: 

  • Luedji Luna, às 11h00 
  • Little Simz, às 11h55
  • Khruangbin, às 13h15 
  • Tove Lo, às 14h45 
  • Cansei de Ser Sexy, às 16h15 
  • Hot Chip, às 17h45 
  • The Raconteurs, às 19h15 
  • Patti Smith and Her Band, às 20h45 
  • Boy Pablo, às 22h30*
    *TNT After Stage: os ingressos serão distribuídos no espaço TNT durante o festival e o auditório está sujeito à lotação. 

Quando: 15 de novembro 
Onde: Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Barra Funda, São Paulo) 
Horários: Abertura dos portões às 10h; início dos shows às 10h45 
Ingressos: pista R$ 580 (inteira), pista premium R$ 800 (inteira) 
Onde comprar: www.ticketload.com e bilheteria do Unimed Hall