Doria mantém quarentena em São Paulo por tempo indeterminado e faz apelo para os jovens: 'compelidos a se aglomerarem e não usarem máscaras'

Estado paulistano é um dos mais afetados pela doença

Redação Publicado em 01/09/2020, às 10h58

None
João Doria (Foto: Sipa USA via AP)

O último final de semana no estado de São Paulo foi marcado por praias, ruas e parques lotados em diversas cidades. João Doria, governador, anunciou nesta segunda, 1, que o isolamento social irá durar até a vacina contra Covid-19 chegar. O político ainda pediu à população continuar com o distanciamento no feriado do próximo final de semana. A informação é do Yahoo!.

"Essa quarentena prossegue e prosseguirá enquanto não chegar a vacina e não tivermos a imunização de todos os brasileiros de São Paulo", disse o governador. O estado paulistano é um dos mais afetados pelo coronavírus no Brasil, segundo G1.

+++LEIA MAIS: Uma das últimas mensagens de Chadwick Boseman ao amigo Josh Gad é uma ode à vida

Além disso, uma das maiores preocupações do governo de São Paulo é com os jovens. João Doria afirmou não ter condição, para o próximo final de semana, de fiscalizar pessoas que deixarem regras de distanciamento. De acordo com o Yahoo!, o político disse poder disponibilizar policiais militares para cidades e assim ajudar a reforçar equipes de fiscais.

"Mais de 30 mil brasileiros de São Paulo não conseguiram se recuperar e perderam suas vidas. Não há razão para celebração de nenhuma ordem", afirmou Doria. "Entendo que, após seis meses de confinamento, sobretudo os jovens, se sintam compelidos a se aglomerarem e não usarem máscaras. Mas não podem".

+++LEIA MAIS: Astro de Karatê Kid original critica versão de Jaden Smith: 'Deveria se chamar Kung Fu Kid'

Vale lembrar que, atualmente, o Instituto Butantan testa uma potencial vacina contra Sars-CoV-2, desenvolvida por Sinovac Biotech, empresa chinesa. Também existem outras candidatas a prováveis vacinas, como da parceria entre AstraZeneca, farmacêutica britânica, e Universidade de Oxford, situada no Reino Unido, e da Pfizer, empresa estadunidense.

Segundo a Secretaria de Saúde de São Paulo, o Estado contabilizou mais de 804 mil pessoas infectadas pelo coronavírus e mais de 30 mil óbitos.


+++ XAMÃ: MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO, DE NIRVANA A TUPAC