Pulse

Freddie Mercury atribui sucesso do Queen a John Deacon: "Ele nos salvou da ruína"

O vocalista dizia que, mesmo que "Deus nos tivesse abandonado", a banda sempre poderia contar com o apoio do baixista

Redação Publicado em 07/11/2019, às 10h55

None
Freddie Mercury, Roger Taylor, Brian May e John Deacon, do Queen (Foto: RTAngel / MediaPunch)

Todos os quatro integrantes do Queen criaram sucessos internacionais que resistiram ao tempo. No entanto, o baixista John Deacon é pouco reconhecido pelos trabalhos da banda e, até hoje, tende a se afastar dos holofotes.

Mesmo assim, uma vez, o vocalista Freddie Mercury o saudou por "salvar o Queen da ruína" e torná-lo um fenômeno global.

+++ Leia mais: 'Bohemian Rhapsody' foi escrita por Freddie Mercury como uma mensagem para ex-namorada e melhor amiga Mary Austin?

Deacon era muito mais quieto comparado com as outras personalidades da banda, mas estava sob a proteção de Mercury: "Não o subestime, ele tem uma veia de fogo."

Em 1972, a banda assinou o primeiro contrato importante com a gerência da Trident. Apesar do sucesso inicial significativo do Queen, eles não estavam ganhando quase nada, presos a um acordo extremamente desfavorável.

No passado, Mercury contou: "Tínhamos álbuns mais vendidos, mas ainda estávamos amando em apartamentos miseráveis ​​no porão com cinquenta libras por semana."

Deacon, então, pediu um adiantamento que acabou sendo recusado.

Assim, em 1975, ele quebrou o contrato com a empresa de administração, abrindo espaço para que o gerente de Elton John, John Reid, assumisse a direção da banda, com Deacon sempre de olho nos assuntos financeiros.

+++ Leia mais: Elton John revela tocante presente de Natal enviado por Freddie Mercury no leito de morte

Isso provou ser uma grande oportunidade para o Queen, pois, no mesmo ano, o álbum A Night At The Opera, que incluía "Bohemian Rhapsody", foi lançado e mudou o destino da banda.

"John Deacon cuidou de todos os nossos negócios", disse Mercury. "Ele sabia tudo o que deveria e não deveria estar acontecendo. "Se Deus nos tivesse abandonado, o resto do grupo não faria nada a menos que John dissesse que estava tudo bem."