Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Kanye West diz não acreditar em antisemitismo

Kanye West afirmou que não considera o antissemitismo 'factual'

Redação Publicado em 18/10/2022, às 14h40

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Kanye West (Foto: Evork Djansezian / Getty Images)
Kanye West (Foto: Evork Djansezian / Getty Images)

Kanye West disse que não acredita em antissemitismo afirmando que não foi algo "factual" e negou as acusações de racismo contra ele. A declaração veio em entrevista para o programa NewsNation (via NME).

+++LEIA MAIS: Policial é condenado a 22 anos de prisão pela morte de George Floyd

“Eu não gosto do termo anti-semita”, disse Kanye. “Você está dizendo que sou antissemita, mas eu não acredito nesse termo. Uma coisa é que os negros também são judeus. Também me classifico como judeu, então não posso ser antissemita. Então, o termo é, na verdade, não é factual.”

Quando o apresentador insistiu sobre o assunto West o interrompeu e continuou: “Todo mundo quer atirar no mensageiro. ’ – mas o fato é que o povo judeu de quem estou falando não precisa entender. E esse é esse privilégio que eu não vou permitir.”

O rapper 45 anos continuou

“Quando eu vesti a camiseta ‘vidas brancas importam’ , a máfia da mídia underground judaica já começou a me atacar. Eles cancelaram meus quatro shows no SoFi Stadium (...) eles [a mídia] me chamaram de agressor por discutir com pessoas sobre minha ex-mulher e minha família, e quando posso ver meus filhos e quando não vejo. E eles imediatamente me desrespeitam, mantêm a narrativa ‘louca’, nunca me chamam de bilionário. Magnata, bilionário, visionário, inventor. Estes termos nunca são usados.”

Em 9 de outubro, Kanye teve o Twitter e o Instagram bloqueados após publicações antissemitas. Desde então, ele provocou várias controvérsias, incluindo a alegação de que George Floyd morreu tomando Fentanyl.


Família de George Floyd pensa em processar Kanye West, diz advogado

Após Kanye West dizer que George Floyd morreu por conta do opioide fentanil durante participação em podcast, a família da vítima estaria considerando processar o rapper pela fala, segundo publicação do advogado Lee Merritt nas redes sociais. Vale lembrar como autópsia independente revelou como Floyd foi assassinado por asfixia durante abordagem policial.

Além de falar que George Floyd morreu pelo uso de fentanil, o músico alegou como o joelho de Derek Chauvin, policial responsável por prender e matar a vítima, "nem estava no pescoço assim." Na vida real, vídeos e imagens mostraram Floyd contido em uma calçada por Chauvin, quem pressionou o joelho no pescoço de GeorgeFloyd por mais de nove minutos, deixando-o sem ar.

+++LEIA MAIS: Um ano da morte de George Floyd: como os protestos após o assassinato impactaram a cultura?

Após essa fala polêmica, Lee Merritt, advogado de direitos civis e organizador comunitário, explicou como a família de George Floyd “considera [um] processo pelas falsas declarações de Kanye sobre a maneira da morte" da vítima. Ele também comentou como "afirmar que Floyd morreu de fentanil [e] não a brutalidade estabelecida criminal e civilmente prejudica [e] diminui a luta da família Floyd."