Kiss não vai ouvir políticos sobre data para voltar aos shows

Gene Simmons explicou que prefere ouvir cientistas no assunto

Redação Publicado em 13/05/2020, às 16h51

None
Gene Simmons (Foto: Amy Harris / Invision / AP)

Gene Simmons, do Kiss, conversou na última quinta, 7, com Scott Brown, embaixador dos EUA na Nova Zelândia. O músico deixou claro que não tem pressa em voltar aos palcos para a End of The Road Tour - não enquanto isso significar colocar pessoas em risco por conta da pandemia de coronavírus.

“Para começar, não importa ‘eu’, ou a banda, essas coisas… O importante é manter vocês em segurança, porque amamos vocês. Sem os fãs, não somo nada nem ninguém,” garantiu Simmons.

+++ LEIA MAIS: Gene Simmons, do Kiss, fica chocado com números do coronavírus do Brasil

Embora em alguns lugares alguns políticos, como Trump e Bolsonaro, prefiram flexibilizar a quarentena, Simmons não concorda. Kiss vai voltar “quando tivermos uma vacina, e os cientistas - e não os políticos - disserem ‘ok, abram as portas, celebre a vida, vá se divertir.’ Então, iremos.”

O entrevistador questionou diferente regras para diferentes lugares. Simmons acredita que deve haver consenso, independente do lugar. Explicou como, de fato, alguns locais são mais difíceis na situação (“há mais pessoas em Los Angeles do que na Austrália inteira, 28 milhões”), por isso os casos devem ser analizados pessoalmente.

+++ LEIA  MAIS: Gene Simmons odeia hit do Kiss ‘I Was Made For Loving You’; entenda o motivo

“Precisamos encontrar uma solução. Espero que cientistas e os políticos se reúnem [...] e entendam que deve haver leis diferentes, dependendo do número de pessoas. E não precisa ser um gênio para entender isso.”

+++ O TERNO | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL