Pulse

Leonardo DiCaprio responde acusação feita por Bolsonaro sobre os incêndios na Amazônia

O presidente havia acusado o astro de "dar dinheiro" para "tacar fogo na Amazônia"

Redação Publicado em 30/11/2019, às 13h00

None
Leonardo DiCaprio (Foto: Divulgação Era uma Vez em... Hollywood)

Em comunicado, Leonardo DiCaprio rebateu as acusações feitas pelo presidente Jair e o deputado Eduardo Bolsonaro de "dar dinheiro" para "tacar fogo na Amazônia". 

O ator americano e ambientalista disse que "embora certamente mereçam apoio", ele não financia as organizações "que estão atualmente sob ataque". 

"O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de fazer parte dos grupos que os protegem", disse.

DiCaprio também aproveitou para elogiar "o povo do Brasil que trabalha para salvar seu patrimônio natural e cultural".

+++ LEIA MAIS: Leonardo DiCaprio, Cara Delevingne e Demi Lovato alertam sobre queimadas na Amazônia

Na última quinta, 28, o deputado Bolsonaro usou as suas redes sociais para acusar DiCaprio e a ONG WWF de estarem envolvidos com as queimadas crimonosas na Amazônia. 

Segundo ele, DiCaprio doou US$ 300 mil (em torno de R$ 1,268 milhões) para a WWF, e a ONG ecológica “pagou R$ 70 mil pelas fotos da floresta em chamas.”

Na sexta, 29, na coletiva de imprensa feita frente do Palácio da Alvorada, o presidente Bolsonaro retomou o assunto ironizou a atitude do ator: "O Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", segundo informações da Veja e a Folha de S. Paulo. 

Em agosto, DiCaprio havia anunciado que ONGs ambientais e índigenas brasileiras receberiam US$ 5 milhões da Earth Alliance, iniciativa criada pelo próprio ator ao lado de Lauren Jobs, víuva de Steve Jobs, e Brian Sheth para proteger a Amazônia. 

+++ LEIA MAIS: Leonardo DiCaprio, Cara Delevingne e Demi Lovato alertam sobre queimadas na Amazônia

Além disso, o ator declarou que oturas doações seriam recolhidas para que os US$ 5 milhões fossem apenas o começo de um fundo permanente para financiar projetos e continuar protegendo a floresta.