Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Notícias / Inusitado

O que Tim Maia tem a ver com o fim do contrato de Alceu Valença com gravadora?

Convidado do último Roda Viva, o músico pernambucano conta com os caminhos dos dois cantores se cruzaram

Alceu Valença (Foto: Leo Aversa)
Alceu Valença (Foto: Leo Aversa)

Um dos mais ilustres cantores e compositores do Brasil, Alceu Valença foi o convidado do Roda Viva desta semana. Entre opiniões sobre o momento da música brasileira e histórias, uma passagem da história do pernambucano chama atenção pelo elenco luxuoso — além dele, claro, João Araújo (empresário e pai de Cazuza), Paulo Coelho, Tim Maia e Jards Macalé.

Insatisfeito com o trabalho da Som Livre em relação à carreira dele, Valença vinha pedindo a Araújo, fundador da gravadora, que rescindisse o contrato. Ele dizia: “Não, Alceu… nós vamos virar a maior gravadora do Brasil. Gosto muito de você,” ouvia do empresário.

+++LEIA MAIS: Alceu Valença coloca casarão em Olinda para aluguel por temporada no Airbnb

Um certo dia ele conheceu Paulo Coelho, que ainda não o conhecia, mas o viu cantando e o chamou para integrar o time de artistas de outra gravadora, a PolyGram, onde atuava como diretor. Alceu, que já havia pedido a rescisão a João algumas vezes, resolveu falar com o empresário novamente.

Ao chegar ao escritório, o músico ficou sabendo por Neila, secretária de João à época, que Jards Macalé teria passado por ali e brigado com o fundador da gravadora. Após o conflito, a moça não sabia se aquele seria o melhor momento para que ele recebesse alguém, mas acabou permitindo que Alceu entrasse.

+++LEIA MAIS: Morre Paulo Rafael, guitarrista de Alceu Valença, aos 66 anos

Mais uma vez, João repetiu que eles se tornariam a maior gravadora do Brasil e que o empresário gostava muito dele. A conversa foi interrompida por um estrondo vindo da porta da sala. Era Tim Maia. O cantor se dirigiu ao empresário e disse: “João Araújo, no meu contrato eu ganho 10 quindins e você ganha 90,” segundo conta Alceu, que teve que intervir. Ele conta que o cantor ainda chorou e esmurrou a parede da sala.

Em seguida, João concedeu a rescisão do contrato de Alceu, que foi, posteriormente, ao encontro de Paulo Coelho. “Ao chegar lá, vem ele com a botinha dele,” ri. O cantor conta, então, que conseguiu quebrar o contrato com a Som Livre. O diretor foi ao banheiro e nunca mais voltou. “Cheguei a conclusão que do banheiro ele foi diretamente a Santiago de Compostela.”

+++LEIA MAIS: Alceu Valença presenteia fãs com 2ª live de São João: 'É o sertão que estará ali' [ENTREVISTA]

Veja o vídeo: