Por que Taylor Swift não ganhou nada da venda bilionária das próprias músicas?

Scooter Braun vendeu os direitos das músicas antigas de Swift, um ano após uma transação polêmica que enfureceu os fãs da cantora

Redação Publicado em 17/11/2020, às 15h22

None
Taylor Swift (foto: Evan Agostini / AP)

Há cerca de um ano a Big Machine Records, gravadora detentora dos direitos das primeiras músicas de Taylor Swift, foi comprada pelo magnata do entretenimento Scooter Braun, num episódio polêmico e atraiu a fúria dos fãs da cantora. Porém, nesta segunda (16), Braun vendeu os direitos novamente em uma transação bilionária.

Segundo noticiado pela Variety,Braun fez a venda para o fundo de investimentos Shamrock Holdings, por cerca de US$ 300 milhões (aproximadamente R$ 1 bilhão). Entretanto, Taylor Swift disse que, apesar de querer a chance de comprar de volta os direitos, foi negada a oportunidade de negociar. 

+++LEIA MAIS: Taylor Swift está enfurecida com venda da suas gravações: "O pior cenário possível"

No twitter, a cantora comunicou os fãs do ocorrido:

Em tradução livre: "Quero atualizar vocês [seguidores]. Como vocês sabem, desde o ano passado eu venho tentando recuperar os direitos das minhas gravações originais. Com esse objetivo em mente, minha equipe tentou negociar com Scooter Braun", começa Swift.

+++LEIA MAIS: 4 coisas que Taylor Swift e Paul McCartney têm em comum

"A equipe de Scooter queria que eu assinasse uma cláusula extremamente confidencial afirmando que eu nunca mais diria uma palavra sobre ele que não fosse positiva, antes mesmo que pudéssemos olhar os registros financeiros da Big Machine Records (o que é sempre o primeiro passo em uma negociação dessa natureza)."

"Então, eu teria que assinar um documento que iria me silenciar para sempre antes mesmo que eu pudesse receber a oferta sobre meu próprio trabalho. Minha equipe jurídica disse que isso não é NADA normal, e que eles nunca viram uma cláusula como essa a não ser que fosse para pagar para silenciar um acusador de agressão. Ele nunca chegou a citar um valor para minha equipe. Essas gravações originais nunca estiveram à venda para mim."

+++LEIA MAIS: A junção de Twenty One Pilots e Taylor Swift é o som que você não sabia que queria; ouça

Taylor Swift contou depois que Braun também fez a venda em segredo: "Há algumas semanas, minha equipe recebeu uma carta de uma empresa de capital privado, chamada ShamrockHoldings, nos informando que eles haviam comprado 100 % das minhas músicas, vídeos e artes de álbuns pertencentes a Scooter Braun."

"Esta foi a segunda vez que minha música foi vendida sem meu conhecimento. A carta dizia que eles queriam entrar em contato comigo antes da compra, mas que Scooter havia exigido que eles não fizessem contato comigo ou com a minha equipe, ou o acordo não seria fechado."

+++ LEIA MAIS: E se Paramore e Zeca Pagodinho fossem uma banda só? Mashup hilário mostra esse 'mundo paralelo'

Por fim, a cantora recebeu a oferta de uma parceria com os novos donos, mas recusou: "Assim que começamos a conversar com a Shamrock, eu compreendi que, sob os termos, Scooter ainda continuaria a lucrar com meus antigos catálogos por muitos anos. Eu estava esperançosa e aberta para a possibilidade de uma parceria com a Shamrock, mas a participação de Scooter é inviável para mim."

Apesar da injustiça, Taylor Swift terminou o comentário com um aviso otimista: "Eu comecei a regravar minhas antigas músicas recentemente e isso já se mostrou ser emocionante e criativamente gratificante. Eu tenho muitas surpresas guardadas. Eu quero agradecer vocês por me apoiarem nessa saga sem fim, e mal posso esperar para que vocês ouçam o que eu tenho sonhado."

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++ TOQUINHO: 'CADA COMPOSITOR TEM QUE BUSCAR A SUA VERDADE' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL