Tony Iommi: ‘Fui contra todos que diziam que não conseguiria tocar guitarra’

O guitarrista do Black Sabbath falou em detalhes da lesão na mão que quase encerrou a carreira dele no Heavy Metal

Redação Publicado em 02/04/2020, às 10h40

None
Tony Iommi (Amy Harris/ Invision/ AP)

Em uma entrevista ao site GuitarWorld, Tony Iommi, guitarrista  do Black Sabbath, falou em detalhes sobre como a lesão na mão moldou o estilo de tocar e na construção dos instrumentos usados por ele.

"Fui contra todos que diziam que não conseguiria tocar guitarra", disse Iommi sobre o processo que levou ao desenvolvimento da Gibson SG customizada com 24 trastes. Logo no início da carreira Tony teve um acidente em uma fábrica e perdeu parte dos dedos da mão direita. 

+++LEIA MAIS: Novo disco do Black Sabbath? Tony Iommi diz ter muitos riffs que quer gravar

Iommi cita principalmente John Birch como o principal responsável pela criação: "Todos falavam 'não conseguimos fazer' quando pedia uma guitarra com 24 trastes, exceto John. Eu tentei de tudo para facilitar para mim, por causa dos meus dedos."

Iommi convenceu Birch a lixar e colocar laca nos trastes também: "Ter trastes altos era desastroso porque tenho dedais: eles são duros, não são como a pele onde você desliza. Então, coloquei a laca para montar o braço da guitarra, para que eu pudesse rolar sobre os trastes."

+++ LEIA MAIS: As complicações de Black Sabbath Vol. IV: como a polícia precisou intervir diversas vezes para ninguém morrer

"Todas essas coisas foram experimentos para fazer as coisas funcionarem para mim. Como o primeiro traste. Eu estava usando cordas leves, tudo tinha que ser trabalhado de maneira diferente. Tinha que ser logo de cara, porque eu já estava com problemas pra tocar."

Tony Iommidisse que o estilo único dele veio como resposta a todas as críticas: "Eu sempre tive determinação. Tenho que tentar fazer alguma coisa funcionar e ir contra todas essas pessoas que dizem: 'Você não pode fazer isso'. O mesmo aconteceu com o meu acidente: eles disseram: 'Você não poderá mais tocar'."

+++ LEIA MAIS: 6 bandas que sobreviveram à mudança de vocalista: de Pink Floyd a Black Sabbath

"Simplesmente não aceitaria isso. Pensei: 'Tem que haver uma maneira'. Isso me fez tentar descobrir uma maneira de jogar. E o mesmo com a música: 'Você não pode tocar esse tipo de coisa, nunca vai vender e nunca vai fazer nenhum bem', mas é uma crença que precisa de perseverança.


+++ TRAVIS SCOTT: O HYPE EM TORNO DELE REALMENTE FAZ SENTIDO?