Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Jackie Chan confirma desenvolvimento de A Hora do Rush 4

A Hora do Rush 4 também contará com o retorno de Chris Tucker na franquia

Redação Publicado em 09/12/2022, às 09h50

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Jackie Chan e Chris Tucker em A Hora do Rush (Foto: Divulgação)
Jackie Chan e Chris Tucker em A Hora do Rush (Foto: Divulgação)

Uma das franquias de ação e comédia mais icônicas do começo dos anos 2000, A Hora do Rush deve ganhar o quarto filme, segundo Jackie Chan, que confirmou desenvolvimento da nova produção. As informações são da Variety.

"Estamos conversando sobre A Hora do Rush 4 neste momento," afirmou o astro. Chan não era o único protagonista da franquia, e atuou ao lado de Chris Tucker, que já tinha comentado sobre a produção do filme em 2018: "Está acontecendo. Será a maior hora do rush de todas. Jackie está pronto, nós queremos fazer isso para que as pessoas jamais se esqueçam [do filme]."

+++LEIA MAIS: Michelle Yeoh brincou com Jackie Chan por rejeitar papel em filme da A24: 'Perdeu, irmão'

Na conversa, Jackie Chan também relembrou a ascensão dele em Hollywood. O ator já era um grande astro no cinema de Hong Kong e Japão, mas A Hora do Rush fez com que ele ganhasse grande atenção mundial e conquistasse diversos fãs ao redor do mundo.

Inicialmente, o ator pensava como o filme de ação e comédia seria um grande fracasso, mas logo na estreia do primeiro filme nos cinemas, percebeu como estava completamente enganado. "Recebi um telefonema. Brett Ratner e Chris Tucker me ligam de Nova York. Eles são loucos. Fizemos US$ 70 milhões [em bilheteria] no primeiro final de semana. Para mim, não sei contar."

+++LEIA MAIS: O Terno de Dois Bilhões de Dólares: 4 curiosidades sobre o filme; erro de gravação, papel para Winona Ryder e mais [LISTA]


Jackie Chan conheceu Bruce Lee depois de apanhar de verdade em filmagem; conheça a história

Dois ícones das artes marciais, Jackie Chan e Bruce Lee tiveram um encontro bem-humorado no início dos anos 1970. Os mestres têm a reputação de serem as duas maiores estrelas de cinema de kung-fu de todos os tempos.

Bruce Lee fez diversos filmes entre 1971 e 1973, enquanto Chan, que tinha um estilo e imagem muito diferentes, dominou o gênero nas três décadas seguintes. Enquanto os dois atores nunca co-estrelaram uma produção, os dois se conheceram de maneira extraordinária.

+++LEIA MAIS: Como foi a real luta entre Bruce Lee e um dublê - e foi bem diferente da mostrada em Era uma Vez Em Hollywood, com Brad Pitt

Os filmes de kung-fu estavam sendo feitos na China muito antes de Lee entrar em cena, mas ele transformou o gênero e deu popularidade internacional ao nicho. Ele causou uma explosão na indústria do entretenimento com o lançamento de O Dragão Chinês, em 1971.

As habilidades de Bruce Lee como artista marcial impressionaram o público e, como resultado, ele se tornou uma sensação mundial. O "Dragão" estrelou em mais quatro filmes antes da morte. Ele morreu durante as filmagens de Jogo da Morte, o filme mais famoso dele. Já Operação Dragão foi filmado antes, mas lançado após a morte do astro.

+++LEIA MAIS: De Bruce Lee a Michael Jackson: As 13 celebridades que mais lucraram após a morte entre 2010 e 2019

Foi durante as filmagens de Operação Dragão que Bruce Lee conheceu Jackie Chan, que ainda não se tornara uma estrela, mas havia trabalhado como dublê em A Fúria do Dragão (1972). 

Jackie Chan foi um dos vários oponentes sem nome que o personagem de Bruce Lee teve que lutar ao mesmo tempo, em uma cena específica. Chandiz que, quando encenou o ataque contra o ator, ele o acertou em cheio no rosto com um bastão.

+++LEIA MAIS: Filha de Bruce Lee diz que seria bom Quentin Tarantino "calar a boca"

O golpe foi um acidente, mas  Lee continuou com a cena até terminar. Assim que houve uma pausa, ele correu para Chan e pediu desculpas. Como Chan conta na história, ele fingiu ter se machucado muito mais, simplesmente porque gostou da atenção que estava recebendo de ídolo dele.