Ex-namorado de Freddie Mercury revela qual foi a reação dele ao descobrir a doença do cantor

Jim Hutton namorou o vocalista do Queen por cerca de seis anos, até o fim da vida do artista

Redação Publicado em 16/12/2019, às 09h50

None
Freddie Mercury (Foto: DB / Picture Alliance DPA / AP)

Jim Hutton, ex-namorado de Freddie Mercury, revelou qual foi a reação dele diante do diagnóstico de HIV positivo do vocalista do Queen, em 1987. O cabeleireiro e o cantor namoraram por cerca de seis anos, até o fim da vida do astro do rock.

Em 1994, três anos após a morte de Mercury, Hutton participou de uma entrevista no programa britânico The Big Breakfast e relembrou que havia acabado de voltar de uma viagem de família quando recebeu a notícia trágica sobre o estado de saúde do músico.

"Quando eu voltei, ele explicou que tinha uma notícia importante para dar [...] Como a reação de todo mundo, [a minha] foi ficar totalmente incrédulo", contou Hutton.

+++ LEIA MAIS: Freddie Mercury somente revelou ter Aids 24 horas antes de morrer aos 45 anos

Apesar de Mercury ter feito consultas com os melhores médicos disponíveis, Hutton insistiu para o artista procurar outra opinião médica. Ele disse: "Nós conversamos um pouco sobre isso, mas, então, ele apenas falou: 'Olha, esses são os melhores especialistas em Aids".

Hutton também contou que, após receber a notícia, um dos primeiros pensamento que teve foi sobre a própria saúde e se ele corria algum risco.

"Sim, isso me afetou, eu suponho. Eu suponho que fiquei com medo da minha própria saúde", disse o ex-namorado de Mercury.

+++ LEIA MAIS: Elton John revela tocante presente de Natal enviado por Freddie Mercury no leito de morte

Tempos depois, Hutton revelarou que, na época, Mercury disse que compreenderia se ele quisesse terminar a relação e ir embora da mansão na qual viviam juntos. Como resposta, o então namorado prometeu ficar do lado do astro do rock até fim.

"Quando foi diagnosticado, ele me disse: 'Eu entenderia se você quisesse fazer as malas e ir embora [...] Eu disse para ele: 'Não seja estúpido. Eu não vou a nenhum lugar. Eu estou aqui para a longa caminhada", disse para o The Daily Beast.

Hutton registrou as memórias e os detalhes da relação com o vocalista do Queen no livro Mercury and Me: An Intimate Memoir by the Man Freddie Loved.

Na obra, ele relembra que no ano de 1990 também foi diagnosticado com Aids e que nos últimos momentos de vida do vocalista do Queen tentou se manter distraído para não pensar na doença que afetava o casal.

+++ LEIA MAIS: Mary Austin, ex-namorada de Freddie Mercury, diz que cantor escolheu quando morrer

"Eu continuei meu trabalho normalmente para me manter ocupado. Eu não queria enlouquecer por pensar nisso o tempo todo."

E completou: "Foi realmente torturante [...] Eu nunca realmente aceitei de verdade, até as duas últimas semanas, quando ele estava morrendo".

Mercury morreu por causa de uma broncopneumonia, em consequência da Aids, no dia 24 de novembro de 1991. Já Hutton viveu por mais 19 anos e morreu de câncer, em 2010.


+++ FRANCISCO EL HOMBRE SOBRE RASGACABEZA: 'É UM DISCO INDIGESTO, TOCA EM PONTOS DOLORIDOS E ÍNTIMOS'