Jin, do BTS, fala sobre músicas 'estilo rock', vida fora da estrada e ser muito bonito [ENTREVISTA]

"Quando não podíamos fazer turnê, todo mundo sentiu realmente uma sensação de perda, uma sensação de impotência", diz Jin

BRIAN HIATT | ROLLING STONE EUA Publicado em 29/06/2021, às 07h00

None
Capa Jin para a Rolling Stone EUA (Foto: Hong Jang Hyun para a Rolling Stone)

O principal produtor do BTS, Pdogg, gosta de levar os cantores do grupo ao topo do alcance e além. Um dos exemplos mais extraordinários e impressionantes é a série uivante de notas além do falsete que Jin consegue alcançar na faixa "Crystal Snow". Você nunca saberia isto naquele momento e em muitos outros, mas Jin não era um cantor (ou um dançarino) ao se juntar à Big Hit Entertainment (agora HYBE) como um trainee. Ao invés disso, ele estudava atuação. Na terceira entrevista da Rolling Stone com cada integrante do BTS, Jin explicou como cultiva as formidáveis habilidades, relembrou os melhores momentos musicais dele, e mais. Ele sentou-se na sede da gravadora para a conversa, e vestia uma camisa de botão azul com gola larga e um boné de beisebol preto da marca japonesa Mastermind, um presente de Suga.

[Em comemoração à capa mensal da Rolling Stone do BTS, capas individuais digitais com cada integrante da banda foram publicadas diariamente ao longo de uma semana no mês de maio]

+++LEIA MAIS: O triunfo do BTS [ENTREVISTA]


Sei que você acabou de acordar hoje. Como foi seu dia ontem?

Fomos filmar um programa de variedades, um programa popular e famoso na Coreia, e não fazíamos um desses há algum tempo. Quero enfatizar e garantir que fique registrado que todo mundo ficou furioso com o quão bonito eu estava [risos].

+++LEIA MAIS: J-Hope fala sobre amadurecer no BTS, próxima mixtape e mais [ENTREVISTA]

Mesmo através da máscara, posso dizer. Então, o que você aprendeu sobre si mesmo neste ano fora da estrada?

Especialmente quando estamos em turnê, não há tempo para eu refletir sobre mim e descobrir o que me traz alegria, o que me faz relaxar. Estar fora da estrada ao longo de um ano me deu a chance de realmente refletir no que eu quero e em quem eu sou, e meio que aprender a me amar. Tive a chance de dormir mais, e isso me fez muito mais satisfeito. Tentei me exercitar e percebi ser algo que eu gosto. E, coisas do dia a dia como jogar jogos, assistir filmes, cantar, este tipo de coisa. 

+++LEIA MAIS: Jimin fala sobre perfeccionismo, saudade das ARMYs, amor pela dança e futuro do BTS [ENTREVISTA]

Ao mesmo tempo, parece que você sentiu a dor de não estar em turnê.

Não apenas eu, mas todos os outros integrantes sentiram isso. Quando não podíamos fazer turnê, todo mundo sentiu realmente uma sensação de perda, uma sensação de impotência, e todos nós ficamos tristes. E demorou um tempo para nós superarmos esses sentimentos. 

+++LEIA MAIS: Jungkook, do BTS, fala sobre 'Dynamite', amar ARMYs, e aprendizado com Ariana Grande [ENTREVISTA]

Você escreveu "Abyss" sobre esses sentimentos, certo?

Como o título sugere, eu estava me sentindo mergulhado no abismo quando estava escrevendo essa letra. Eu estava me sentindo muito triste e deprimido. Mas, o processo de cantar e gravar a música deu uma aliviada nessas emoções. 

+++LEIA MAIS: Uma conversa profunda com RM, do BTS, sobre os primeiros anos do grupo, Drake e mais [ENTREVISTA]

Foto: Hong Jang Hyun para a Rolling Stone

"Moon" é uma ótima canção conduzida por guitarra. É verdade que você gostaria que o BTS gravasse mais material voltado ao rock?

Não penso que eu recusaria nenhuma música estilo rock que aparecesse em nosso caminho. Seria muito bom se nós pudéssemos fazer mais delas, mas têm que ser adequadas e combinar com o estilo de nossa equipe.

Como a sua formação foi em atuação, você precisou aprender a cantar e dançar do zero enquanto trainee. Como foi isso?

+++LEIA MAIS: Suga fala sobre como o BTS permanece ávido após conquistar o mundo [ENTREVISTA]

Era verdade naquela época e continua uma verdade atualmente que faz com que eu me esforce muito para fazer coisas que podem vir mais naturalmente para outros integrantes. Careço em muitas áreas. Por exemplo, muitos outros integrantes aprenderão a dançar uma vez e estarão prontos para dançar imediatamente com a música. Mas, eu não consigo fazer isso, então eu tento me esforçar mais para eu não prender os outros integrantes ou ser um peso. Portanto, eu vinha para a aula de dança uma hora mais cedo ou, depois que a prática acabava, ficava mais uma hora e pedia ao professor para repassar a coreografia mais uma vez. 

Mas você se tornou um cantor incrível. Quais foram os momentos em que você começou a perceber que alcançou um domínio do canto?

+++LEIA MAIS: V, do BTS, fala sobre futura mixtape, amor por Poderoso Chefão e ser 'o integrante secreto' [ENTREVISTA]

Não penso que existiu um momento em que realmente senti ter me tornado um cantor. Não dominei o canto. Mas, um cantor tem o dever e a obrigação de trazer alegria para o público. Quando estávamos em turnê, comecei a notar que o público gostava do que eu estava fazendo. Nós estávamos compartilhando as mesmas emoções e o que eu estava fazendo ressoava com eles mais e mais. Então, seja meu canto, minha performance ou qualquer coisa que seja, comecei a perceber que eu era capaz de me comunicar com o público. 

Conte-me sobre o [fundador da HYBE] Mr. Bang. Qual é o talento particular dele?

[Atrevidamente] Muito disso, acredito, é sorte. A realização desse gênio foi a sorte de nos conhecer. Não acredito em como ele poderia ter feito isso sem nós. Penso que na boa sorte dele, está o gênio que ele é. Acredito que há uma coisa sobre ele que posso dizer, a capacidade de olhar para o futuro e entender as tendências muito cedo. Ele é capaz de ver "Este é o tipo de coisa que podemos fazer; isso será bom para o futuro". Então eu penso que ele é muito capaz nisso. Além disso, ele tem muita sorte.

Você é, claro, o integrante mais velho do grupo. Há uma crença de que as pessoas meio que congelam na idade em que se tornam famosas, porque é quando a vida normal para elas. Então, na sua cabeça, você se sente como alguém que tem quase 30 anos ou se sente mais jovem?

Isso é vergonhoso para eu dizer porque é algo que meio que eu me gabo muito sobre mim, eu acho. Mas, a todo momento que senti termos alcançado o auge da nossa fama, nós chegávamos a outro auge, e a outro auge. E à medida que fui envelhecendo e, de novo, é meio constrangedor dizer isso, fomos capazes de atingir mais e mais auges. Então, sinto minha idade! Sinto ter 29 anos.

Você gostaria de tentar atuar novamente em algum momento?

Nada é esculpido em pedra. Meio que gosto de sentir o fluxo e o que eu sinto. Neste momento, realmente amo música, então obviamente penso estar mais orientado para fazer música.

"Spring Day" é obviamente um esforço coletivo, mas penso que sua parte é particularmente comovente. O que você lembra sobre gravar essa canção?

Nós quisemos criar meio que uma emoção docemente sentimental ou melancólico para essa música. Quando pegamos a lírica, tentamos definir o tema e tom para a gravação da canção. Tentei muitas das minhas memórias docemente melancólicas para poder traduzi-las nesse sentimento geral. Por exemplo, você está pensando sobre um amigo que você pode ter perdido o contato, e se inspirando nessa tristeza. 

Como há toda a interação vocal complexa nas músicas do BTS - como vocês decidem quem canta o quê?

Quando uma música é concluída, nós todos a cantamos. Iremos cantar toda a canção e depois vamos decidir qual trecho realmente encaixa com cada pessoa e seu caráter. E tentamos decidir disso. 

E finalmente, nos seus dias como trainee, você poderia imaginar esse nível de sucesso?

Penso que, naquela época, senti que eu poderia reunir um público de 1.000 pessoas, isso era o que eu queria fazer. Esse era meu objetivo naqueles dias. 


+++ MV BILL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL