Ouça a voz isolada Mick Jagger em "Sympathy For The Devil", dos Rolling Stones

A canção foi composta por Jagger e Keith Richards para o disco Beggars Banquet, de 1968

Redação Publicado em 07/01/2020, às 08h13

None
Mick Jagger (Foto: AP)

Os Rolling Stones possuem um legado musical que inclui desde hits clássicos do rock até canções mais experimentais, que misturam as guitarras com outros ritmos musicais, como "Sympathy For The Devil".

Na música composta para o disco Beggars Banquet, de 1968, os músicos ingleses misturam diversos instrumentos de percussão típicos dos ritmos africanos e latinos com os vocais excêntricos de Mick Jagger.

+++ LEIA MAIS: Gene Simmons diz que Mick Jagger não daria conta de um show do Kiss: “Desmaiaria”

Em 1995, Jagger contou à Rolling Stone que compôs a letra da canção inspirado em obras da literatura francesa, e que Keith Richards alterou o ritmo e a melodia para deixar a música mais animada e menos folk.

"Eu acho que isso foi tirado de uma antiga ideia de Baudelaire, eu acho, mas posso estar errado [...] Às vezes, quando eu olho para meus livros do Baudelaire, eu não posso vê-la ali. Mas foi uma ideia que tirei da literatura francesa. E eu apenas peguei algumas linhas e expandi-las. Eu escrevi ela como uma música de Bob Dylan", disse o músico. 

+++ LEIA MAIS: De Rolling Stones a Miles Davis: 10 discos icônicos que completam 50 anos em 2019

Ele completou: "Tem um groove muito hipnótico, um samba, que tem um poder tremendamente hipnótico, como uma boa dance music. Ela não acelera ou desacelera. Ela mantém esse groove constante".

Jagger ainda disse que os ritmos africanos e sulamericanos causam uma sensação "sinistra" nas pessoas brancas, além de ser ótimo para cantar.

"Além disso, o verdadeiro ritmo do samba é ótimo para cantar, mas também tem outras sugestões nele, uma subcorrente de ser primitivo - porque é um ritmo africano, sul-americano, afro-chame-do-que-quiser. Então, para as pessoas brancas, tem uma coisa sinistra nele", disse o vocalista dos Rolling Stones .

Ouça a faixa abaixo:


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'