Ozzy Osbourne sente dormência no braço e pernas geladas após diagnóstico de mal de Parkinson

O músico e a esposa Sharon comentaram sobre o quadro, diagnosticado após queda em casa

Redação Publicado em 21/01/2020, às 13h32

None
Ozzy Osbourne (Foto: Amy Harris/AP)

Ozzy e Sharon Osbourne foram os convidados desta terça no Good Morning America, telejornal da ABC. Em entrevista a Robin Roberts, o frontman do Black Sabbath revelou que foi diagnosticado com mal de Parkinson em fevereiro de 2019 - e por isso adiou a turnê à época. 

“Tem sido bastante desafiador para todos nós,” desabafouOzzy Osbourne. “Fiz meu último show na véspera do ano novo de 2019. E aí tive uma queda feia. Precisei operar meu pescoço, o que ferrou todos os meus nervos.”

+++ LEIA MAIS: Ozzy Osborne sobre 2019: ‘O ano mais longo, doloroso e miserável da minha vida’

Sharon, esposa do músico, explicou um pouco mais a doença: “É PRKN 2. Existem muitos tipos de Parkinson; não é de maneira alguma uma sentença de morte, mas afeta alguns dos nervos. E então é como se você tivesse um dia bom, um dia bom, e aí um dia horrível.”

Ozzy comentou que, além da cirurgia, também toma remédios. Mesmo assim, há efeitos colaterais de ambos procedimentos. “Eu tenho uma dormência nesse braço por causa da cirurgia, minhas pernas ficam geladas… Não sei se é pelo Parkinson ou o que, sabe, mas existe esse problema. Porque cortaram nervos na operação. Eu nunca tinha ouvido falar de dor nos nervos, e isso é estranho.”

+++ LEIA MAIS: Sharon Osbourne não consegue ouvir música de Ozzy com Elton John até o fim

Para Osbourne, agora chegou a hora de revelar a verdade, pois não é bom com segredos “e estou ficando sem desculpas.” Em abril, o casal pretende ir para a Suíça para consulta com um médico especializado em recuperação de sistema nervoso.

Apesar da luta contra o Parkinson, Ozzy Osbourne planeja voltar aos palcos e retomar as datas adiadas de sua turnê, que serve para promover o disco Ordinary Man. “Vindo de uma classe trabalhadora, odeio desapontar as pessoas. Odeio não trabalhar. Então vejo minha esposa e filhos com empregos, e todo mundo tenta me ajudar, e isso me deixa pra baixo, não poder contribuir.” 

+++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 1), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL