Venda de ingressos para assistir a 1917 aumentou cinco vezes mais após o Globo de Ouro 2020

No último domingo, 5, a produção dirigida e roteirizada por Sam Mendes desbancou Coringa e O Irlandês como Melhor Filme na premiação

Redação Publicado em 07/01/2020, às 10h55

None
George MacKay em 1917 (Foto: Francois Duhamel / Universal Pictures)

Nesta segunda, 6, o Deadline relatou um aumento na pré-venda de ingressos de 1917. Segundo o relatório, as vendas aumentaram cinco vezes mais do que há uma semana atrás. 

As previsões sugerem que a produção do diretor de 007 - Operação Skyfall e 007 contra Spectre feche com US $ 25 milhões neste fim de semana. Desde o Natal, 1917 está sendo exibido em 11 cidades, entre elas Nova York, Los Angeles, D.C e outros, arrecadando US $ 2,2 milhões.

+++ LEIA MAIS: Conheça 1917, filme que desbancou Coringa e O Irlandês no Globo de Ouro 2020

Embora 1917 apresente uma atmosfera mais antiga, existe um grande potencial de que ele tenha uma boa audiência graças ao Globo de Ouro.

No último domingo, 5, a produção dirigida e roteirizada por Sam Mendes desbancou Coringa e O Irlandês na premiação ao levar as estatuetas de Melhor Diretor (Sam Mendes) e Melhor Filme de Drama. 

1917 narra a história de Schofield (George MacKay, de Capitão Fantástico) e Blake (Dean-Charles Chapman, de Game of Thrones), dois soldados britânicos que tentam atravessar o território alemão com uma mensagem que pode impedir um ataque brutal a milhares de pessoas durante a Primeira Guerra Mundial. Todo o filme foi gravado em apenas um plano sequência. 

O filme será exibido em 3.300 lugares em comparação a Star Wars: A Ascenção de Skywalker, que deve cair aproximadamente 45%, entre US $ 17 milhões a US $ 19 milhões, cedendo o lugar no quarto fim de semana.

Nas bilheterias mundiais no final de 2019, Vingadores: Ultimato conquistou o posto de maior arrecadação, seguido de O Rei Leão, e por último, Star Wars: A Ascensão Skywalker, contrariando algumas expectativas. 


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'