Filha de Trump participa de protesto virtual em apoio a George Floyd

Tiffany Trump publicou uma imagem em apoio ao Black Out Tuesday

Redação Publicado em 03/06/2020, às 14h43

None
Donald Trump e Tiffany Trump (Foto: Reprodução/Instagram/ViaUol)

O Black Out Tuesday, movimento criado pela indústria da música com o intuito de aumentar a conscientização e apoiar os protestos antirracistas que tomaram conta de diversas cidades dos Estados Unidos após a morte de George Floyd, homem negro morto por um policial branco, aconteceu nesta terça, 2, e a filha de Donald Trump, Tiffany, participou. 

+++LEIA MAIS: Black Out Tuesday: 'Apagão' das redes, pode atrapalhar ativistas do Black Lives Matter; entenda

A filha mais nova do presidente dos Estados Unidos, 26 anos, recentemente se formou em Direito na Universidade de Georgetown, como aponta a UOL. Tiffany publicou no Instagram uma imagem quadrada na cor preta em apoio aos protestos antirracistas "Black Lives Matter".

Na legenda, ela colocou uma frase da escritora e ativista Helen Keller: "Sozinhos podemos alcançar tão pouco; juntos podemos alcançar tanto", acompanhada das #BlackLivesMatter e #JusticeForGeorgeFloyd ("Vidas Negras Importam" e "Justiça para George Floyd", em tradução livre). 

+++LEIA MAIS: Mick Jagger, Billie Eilish e Beyoncé aderem à campanha 'BlackOutTuesday' em apoio aos protestos Black Lives Matter

Veja a publicação:

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

”Alone we can achieve so little; together we can achieve so much.”- Helen Keller #blackoutTuesday #justiceforgeorgefloyd

Uma publicação compartilhada por Tiffany Ariana Trump (@tiffanytrump) em

 

Como era de se esperar, a publicação causou diversas reações nos seguidores dela - uns apoiaram enquanto outros criticaram. Segundo a UOL, um comentário diz: "Tiffany, continue fazendo o que está fazendo. Você fará grandes coisas" e outro a questionou: "Você viu o que seu pai fez com manifestantes pacíficos em Washington ontem à noite para que ele posasse com um livro sagrado que ele claramente nunca abriu?". 

+++LEIA MAIS: Grupo de hackers Anonymous faz graves acusações contra Trump, cita Bolsonaro e pai de Julian Casablancas

O perfil que a questionou se referia ao evento em que Donald Trump visitou à igreja de St. John's, perto da Casa Branca, nesta segunda, 1. O presidente foi fotografado com uma bíblia na mão logo após a polícia afastar manifestantes à força. 

Além disso, a UOL também lembrou que Trump alegou como pode mobilizar os militares para "acabar com os protestos" antirracistas nos quais acontecem no país desde a morte de George Floyd e ainda ameaçou convocar o exército para as ruas caso os movimentos não sejam controlados. 

+++LEIA MAIS: Krist Novoselic, baixista do Nirvana, elogia discurso de Trump


+++ VITOR KLEY | A TAL CANÇÃO PRA LUA | SESSION ROLLING STONE