Grammy 2021: Quem é Jacob Collier, indicado a Álbum do Ano

O cantor que viralizou com vídeos no YouTube há 10 anos foi indicado a três categorias do Grammy 2021 - e tem chance de levar para casa alguns prêmios

Camilla Millan I @camillamillan Publicado em 19/02/2021, às 19h38

None
Jacob Collier (Foto: Alberto E. Rodriguez/Getty Images for The Recording Academy)

Em novembro de 2020, a lista de indicados ao Grammy 2021 surpreendeu com o nome de Jacob Collier em diversas categorias, inclusive a disputada Álbum do Ano. Muitos se perguntaram quem é esse artista de 26 anos cuja música eclética passeia do jazz ao pop  - e esta matéria irá explicar.

Apesar de ser considerado jovem, Collier está longe de ser inexperiente. A carreira do artista começou em 2011, e nesses 10 anos, ele já foi vencedor de quatro prêmios Grammy: dois para Melhor Arranjo Instrumental e outros dois de Melhor Arranjo Instrumental com Acompanhamento de Voz. 

+++LEIA MAIS: The Weeknd fala sobre falta de indicações ao Grammy 2021: ‘Precisava de respostas’

O artista pode não ter um nome tão conhecido na indústria musical, mas o talento de Jacob Collier é evidente. No Grammy 2021, o músico está concorrendo a três categorias: Melhor Arranjo Instrumental com Acompanhamento de Voz, Álbum do Ano e Melhor Performance de R&B - e provavelmente levará para casa alguma estatueta.

Início da carreira

Nascido em Londres, o músico viralizou no YouTube em 2012. Na época, Jacob Collier publicava diversas versões multi-instrumental de canções populares, como "Don't You Worry 'bout a Thing" de Stevie Wonder.

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 curiosidades sobre Folklore, disco indicado de Taylor Swift [LISTA]

O músico chamou a atenção de Quincy Jones, conhecido por ajudar Michael Jackson no lançamento do aclamado Thriller. O empresário levou Collier para o Festival de Jazz de Montreux.

Em 2014, Collier assinou contrato com a empresa de gerenciamento de Quincy Jones e começou a trabalhar no próprio veículo audiovisual para apresentações ao vivo, projetado e construído no Massachusetts Institute of Technology(MIT).

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


Artista tecnológico

A tecnologia faz parte do trabalho de Jacob Collier. Quando começou a ganhar evidência, Ben Bloomberg, um aluno de PhD do MIT procurou o músico para criar um hardware e software mundial para shows. Em conjunto, eles construíram uma experiência multimídia que passaria a fazer parte da carreira do jovem artista.

Em 2015, Collier viajou pela Europa e pelos EUA com um show ao vivo que incluía um círculo de instrumentos musicais, seis estações de looping capazes de reprodução simultânea e apoiadas por loops de vídeos capturados em 3D em tempo real - uma verdadeira experiência capaz de encantar uma plateia inteira. 

+++LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 músicas para entender Billie Eilish [LISTA]

Além disso, Collier usou um harmonizador vocal customizado que passou a ser um importante marco da carreira. Toda essa tecnologia, somada ao talento dele, trouxe unicidade ao trabalho do artista, dando diversas possibilidades harmônicas e de criação a Jacob Collier.


Discos e Grammy

Em 2016, Jacob Collier estreou com o disco de jazz In My Room. O trabalho reuniu as diversas gravações caseiras complexas do músico, além de vários covers, incluindo a faixa “In My Room”, dos Beach Boys.

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: 4 curiosidades sobre Hollywood's Bleeding, disco indicado de Post Malone

As faixas “Flintstones” e "You and I" deram ao artista os primeiros prêmios Grammy, por Melhor Arranjo Instrumental com Acompanhamento de Voz e Melhor Arranjo Instrumental, respectivamente.

Collier compôs, gravou e produziu o álbum inteiro sozinho, tocando todos os instrumentos e usando o harmonizador. Em três meses, o trabalho foi gravado e mixado na sala de música da casa da família do artista em Londres. O disco alcançou o terceiro ligar no ranking de lançamentos de jazz  da Billboard.

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: Conheça Jack Harlow, hit do TikTok em ascensão no hip hop [ENTREVISTA]

Em seguida, Collier lançou Djesse Vol. 1 em 2018, foi gravado com o conjunto holandês de big band Metropole Orkest. A faixa "All Night Long" do disco recebeu o prêmio Grammy de Melhor Arranjo Instrumental com Acompanhamento de Voz.

Um ano depois, foi a vez de Djesse Vol. 2, que  rendeu outro prêmio Grammy. A faixa “Moon River” venceu na categoria Melhor Arranjo Instrumental.

Em 2020, Jacob Collier lançou o elogiado Djesse Vol. 3, trazendo alguns importantes nomes do pop e R&B para colaborações. Entre os convidados estão Ty Dolla Sign, Daniel Caesar e Rapsody, e o disco incorpora muitos mais elementos eletrônicos e contemporâneos. 

O jovem artista concorre com Beyoncé, Taylor Swift e outros grandes nomes na almejada categoria Álbum do Ano no Grammy. Contudo, os artistas populares não devem afastar Collier da chance de vencer - e um dos motivos é a crescente perceptível do músico ao longo dos anos.

+++ KANT: 'AQUELES QUE NOS DÃO MAIS ATENÇÃO SÃO OS QUE MAIS CRITICAM' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL


+++MAIS SOBRE MÚSICA: Site escolhe a melhor banda de rock de cada ano de 1969 a 2019 - e o resultado é polêmico

O rock ‘n’ roll abalou o mundo da música e trouxe uma oportunidade para os músicos que procuravam um meio mais agressivo e despretensioso para se expressar. E, desde os primórdios do gênero musical, diversas bandas conquistaram fãs ao redor do mundo com canções espetaculares e atitudes provocativas.

Contudo, segundo a Cleveland, o conceito de estrela do rock mudou ao longo dos anos e é preciso deixar o antigo estereótipo de lado para reconhecer o trabalho de novas gerações de músicos, os quais estão dispostos a dar continuidade a história do rock. 

+++ LEIA MAIS: As 50 melhores músicas do Pink Floyd, segundo site

Por isso, o site separou as melhores bandas de cada ano, desde 1969 até 2019. A lista foi feita considerando os números de vendas, conquistas, repercussão e qualidade de música dos artistas. Confira:

1969 - The Beatles

1970 - Led Zeppelin

1971 - Led Zeppelin 

1972 - The Rolling Stones 

1973 - Pink Floyd 

1974 - The Band 

1975 - Led Zeppelin

1976 - Queen 

1977 - Fleetwood Mac 

1978 - The Rolling Stones 

1979 - The Eagles 

1980 - Pink Floyd 

1981 - The Rolling Stones 

1982 - The Clash 

1983 - The Police 

1984 - Talking Heads 

1985 - The Cure 

1986 - R.E.M.

1987- U2

1988 - Guns N’ Roses 

1989 - Guns N’ Roses 

1990 - Pixies 

1991 - Metallica 

1992 - Nirvana 

1993 - Pearl Jam 

1994 - Green Day 

1995 - Oasis 

1996 - Smashing Pumpkins

1997 - Radiohead

1998 - Beastie Boys 

1999 - Rage Against the Machine 

2000 - Radiohead 

2001 - Linkin Park 

2002 - System of a Down 

2003 - The White Stripes 

2004 - Green Day

2005 - The Killers 

2006 - Fall Out Boy 

2007 - Foo Fighters

2008 - Coldplay 

2009 - Paramore 

2010 - Arcade Fire 

2011 - Foo Fighters 

2012 - The Black Keys 

2013 - Vampire Weekend 

2014 - Arctic Monkeys 

2015 - Alabama Shakes

2016 - The 1975 

2017 - Twenty One Pilots 

2018 - Panic! at the Disco 

2019 - Queen