Grammy 2021: 6 curiosidades sobre Folklore, disco indicado de Taylor Swift [LISTA]

Com o oitavo disco de estúdio da carreira, a artista concorre em cinco categorias da premiação

Julia Harumi Morita | @the_harumi Publicado em 14/02/2021, às 12h00

None
Capa de Folklore, de Taylor Swift (Foto: Reprodução)

Taylor Swift é uma das veteranas do Grammy Awards. Com mais de 40 indicações, a artista coleciona 10 estatuetas e concorre em seis categorias na 63ª edição da premiação: Álbum do Ano, Música do Ano, Melhor Performance de Pop Solo, Melhor Performance de Pop em Duo/Grupo, Melhor Álbum Vocal de Pop e Melhor Música Escrita para Mídia Visual. 

Com exceção da última categoria mencionada, a qual foi garantida com o filme Cats, todas as indicações de Swift foram conquistadas com o disco Folklore, lançado no dia 24 de julho de 2020.

Para entrar no clima do Grammy 2021,  a Rolling Stone Brasil listou seis curiosidades sobre Folklore, dos easter eggs colocados pela cantora até o significado das canções. Confira: 

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: Conheça Jack Harlow, hit do TikTok em ascensão no hip hop [ENTREVISTA]

Quem é William Bowery?

Assim que Folklore foi lançado, diversos fãs notaram o nome William Bowery entre os créditos das canções "Betty" e "Exile", contudo, não conseguiram identificar o artista e desconfiaram que o nome poderia ser um novo pseudônimo de Swift - que já usou este recurso em outros lançamentos. 

Contudo, meses mais tarde, a cantora revelou no documentário Folklore: Sessões no Long Pond Studio, do Disney+, que o artista mistério é o namdorado dela, Joe Alwyn, segundo informações da NME.

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 músicas para entender a trajetória de Haim, banda indicada a Melhor Álbum


The Teenage Love Triangle

Swift revelou que três músicas do disco formavam uma trilogia batizada de The Teenage Love Triangle, de acordo com o Buzzfeed. Sem revelar o nome das músicas, a artista contou que elas exploram três perspectivas diferentes da mesma história.

Não demorou muito para os fãs descobrirem que as canções "Cardigan", "August" e "Betty" formavam a trilogia. Além disso, eles perceberam que a saga musical citava o nome das filhas mais velhas de Blake Lively e Ryan Reynolds, ambos amigos de Swift. Logo, eles deduziram que Betty é o nome da filha mais nova do casal - teoria que foi confirmada pela própria artista, segundo a Vanity Fair.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

"The Last Great American Dynasty"

"The Last Great American Dynasty" é outra canção que se inspira na vida real. Segundo a L'Officiel, Swift se inspirou na história de Rebekah Harkness, a antiga dona da mansão em que a cantora pop vive, em Rhode Island. 

Harkness fez parte da alta sociedade e chegou a se casar com o descendente do ex-presidente norte-americano Franklin Pierce. Em Rhode Island, Harkness chamou atenção por fazer diversas festas, as quais contavam com convidados ilustres, como Andy Warhol

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: 6 músicas para conhecer e amar Phoebe Bridgers


"Hoax" foi a última canção escrita para o disco

Aaron Dessner, integrante do The Nationals e produtor de Folklore, revelou para Vulture que "Hoax" foi a última canção escrita para o disco. O músico disse que a faixa foi criada logo após "The 1", em um período no qual acreditavam que o disco estava pronto - mas depois mudaram de ideia e adicionaram as duas canções. 

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: 4 músicas para conhecer a carreira de Noah Cyrus, irmã de Miley [LISTA]


"My Tears Ricochet" é a única canção escrita apenas por Swift 

"My Tears Ricochet" se destaca das outras faixas pelos créditos. A quinta canção do disco é a única composta apenas por Swift, que colaborou com Dessner, Bowery, Jack Antonoff e Justin Vernon nas outras canções. 

+++ LEIA MAIS: Grammy 2021: 4 curiosidades sobre Hollywood's Bleeding, disco indicado de Post Malone


Swift só revelou o disco para gravadora horas antes do lançamento 

Em entrevista à Pitchfork, Dessner revelou que a gravadora de Swift, Republic Records, não sabia da existência do disco até horas antes do lançamento. 

"Não teve influência externa. Na verdade, ninguém sabia, incluindo a gravadora dela, até horas antes de ser lançado," disse o músico ao ser questionado sobre como foi trabalhar em segredo no disco.


+++ PAI EM DOBRO | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL