3 aspectos cativantes de Malcolm & Marie, novo filme da Netflix - e 3 pouco envolventes [LISTA]

Estrelado por Zendaya e John David Washington, o longa estreou dia 5 de fevereiro na Netflix

Julia Harumi Morita | @the_harumi Publicado em 09/02/2021, às 17h15

None
Zendaya e John Washington em Malcolm & Marie (Foto: Divulgação)

Na última sexta, 5, a Netflix lançou Malcolm & Marie, um drama romântico estrelado por Zendaya e John David Washington. Dirigido por Sam Levinson, o longa-metragem conta a história do cineasta Malcolm e da atriz Marie, que discutem o próprio relacionamento durante uma longa e única noite. 

Filmado durante a quarentena, a produção estava entre os lançamentos mais aguardados da plataforma de streaming para o mês de fevereiro, contudo, recebeu reviews mistos com elogios e críticas - bem, antes mesmo da estreia, o filme foi alvo de um polêmica sobre a diferença de idade dos protagonistas.

Pensando nisso, a Rolling Stone Brasil decidiu listar 3 aspectos cativantes de Malcolm & Mariee 3 aspectos pouco envolventes do novo filme da Netflix. Confira:

+++LEIA MAIS: Zendaya não sabia que interpretaria MJ em Homem-Aranha; entenda

Performances espetaculares

Zendaya e John David Washington entregam performances espetaculares e, citando um adjetivo usado inúmeras vezes no filme, autênticas. Os dois são os únicos atores do elenco e sustentam quase duas horas de um filme formado por diálogos longuíssimos. 

Em um único cenário e praticamente com um único figurino, eles conseguem jogar com a intensidade das brigas e das reconciliações que se sucedem dentro da trama.

+++ LEIA MAIS: Conheça Zendaya, estrela de Euphoria e a mais jovem vencedora do Emmy de melhor atriz


Uma trama familiar 

Marie é uma jovem que enfrentou problemas com drogas e precisou passar pela reabilitação. Essa história parece familiar? Bom, ela tem muitas semelhanças com a personagem Rue, que enfrenta os mesmos dilemas, também é interpretada por Zendaya e existe em uma narrativa dirigida por Levinson

Para os fãs de Euphoria, Marie & Malcolm quase parece um spin-off da vida de Rue alguns anos mais tarde.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

Retrato das nuances de um relacionamento conturbado

Levinson retrata as nuances de um relacionamento conturbado e mergulha na história de cada personagem. Marie explode, revela os motivos para o próprio comportamento e aponta cirurgicamente os defeitos do parceiro. E Malcolm faz tudo isso de volta. 

É um jogo sem vencedor, os dois apresentam argumentos válidos e inválidos - e, no final, tudo ainda parece estar incerto entre eles. Mas o foco está justamente na discussão e em como cada um se vê dentro daquela relação.

+++ LEIA MAIS: Zendaya não quer interpretar personagens femininas unidimensionais; entenda


Emocionalmente exaustivo 

O filme coloca uma lente de aumento sobre o relacionamento de Malcolm e Marie e traz um debate sobre como Hollywood enxerga cineastas negros. Os dois temas são explorados por meio de uma sequência de falas monumentais e vibrantes, que tornam o filme  emocionalmente exaustivo para o espectador em alguns momentos.

+++LEIA MAIS: Euphoria: Zendaya revela que chorou por horas para gravar cena


Trilha sonora

Um dos pontos altos da obra é a trilha sonora. Nos breves momentos em que os personagens não conseguem verbalizar os próprios sentimentos, eles usam a música para se comunicar. 

Ao longo do filme, ouvimos “In a Sentimental Mood”, de Duke Ellington e John Coltrane, “Get Rid of Him”, de Dionne Warwick, entre outras ótimas escolhas feitas por Labrinth.

+++LEIA MAIS: Christopher Nolan quer astro de Tenet como próximo Lanterna Verde


Diálogos e mais diálogos

Assim como os episódios especiais de Euphoria, Levinson explora diálogos longos em cenários fixos. A perspectiva demonstra habilidade do diretor como escritor, mas deixa a desejar nas ações dos personagens.

+++ LEIA MAIS: Arte mostra John David Washington, de Tenet, como Lanterna Verde


+++ PAI EM DOBRO | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL