Ex-assessora cria fundação em nome de Michael Jackson em meio a acusações de abuso

Raymone K. Bain alega que a família do popstar não mantém o legado do artista

Redação Publicado em 22/08/2019, às 17h36

None
Michael Jackson, em apresentação em Los Angeles, em janeiro de 1989 (Foto: Greg Allen / Retna Ltd./MediaPunch /IPX)

A ex-assessora de Michael Jackson, Raymone K. Bain, anunciou a criação do Michael Jackson Legacy Foundation, nesta quinta, 22, durante um evento em Washington.

O anúncio afirmou que a ideia de uma fundação com o nome do artista é "preservar, proteger e defender seu nome para continuar apoiando as numerosas organizações que ele apoiou durante sua vida".

 "Jackson pode não estar mais conosco, mas através da fundação, esperamos que ele continue a viver entre nós.", Bain completou. 

+++ LEIA MAIS: Se o legado de Michael Jackson for destruído, a culpa é dele, diz produtor do Rei do Pop

"Eu espero que esta fundação seja capaz de seguir adiante de forma positiva. E também manter vivo alguém que ajudou a abrir portas para tantas pessoas na memória de todos.", finalizou

Durante o anúncio, lamentou que não existam mais iniciativas caridosas com o nome de Jackson desde a sua morte. "Eu não sei de nenhum tipo de bolsa escolar, ou doação para fundações em nome de Michael.", disse.

+++ LEIA MAIS: Paul McCartney se diz decepcionado com Michael Jackson

Bain revelou que três anos antes de seu falecimento, Michael Jackson fez um testamento secreto, no qual, estão as instruções de utilização da sua fortuna. Para a ex-assessora, a família do popstar não faz o suficiente para continuar o legado do artista.

"A vontade de Michael Jackson será descoberta. Ele delineou como queria que seu legado fosse preservado e mantido. Eu não tenho o documento e não sei onde ele está.", contou.

+++ LEIA MAIS: Madonna defende Michael Jackson das acusações de abuso sexual

Ainda no discurso desta tarde, defendeu as acusações feitas ao cantor no polêmico documentário Leaving Neverland. Ela classificou-o como "um documentário tendencioso e unilateral".

"Acredito sinceramente que essas novas revelações foram marcadas próximas ao décimo aniversário da morte de Jackson propositalmente. Eu acredito que o objetivo deles era inviabilizar qualquer coisa que estivesse sendo planejada em sua homenagem. Michael Jackson tem sido uma vítima desde a sua morte e é hora de parar.", afirmou Bain.

+++ LEIA MAIS: Relatos de seguranças de Michael Jackson validam acusações de Leaving Neverland

O espólio de Michael Jackson negou repetidamente as alegações feitas no documentário e o próprio artista refutou qualquer irregularidade até sua morte em 2009.

No início desta semana, a HBO pediu que o processo de 100 milhões de dólares, movido contra o estúdio devido ao documentário Leaving Neverland, seja dissolvido.

+++ De Djonga a Metallica: Scalene escolhe os melhores de todos os tempos