A história do grunge em 15 discos, de acordo com a NME

De Rust Never Sleeps, do Neil Young, a Nevermind, do Nirvana, conheça a trajetória do gênero musical

Redação Publicado em 07/10/2020, às 11h07

None
Capa dos discos Rust Never Sleeps, Nevermind e Jagged Little Pill (Foto: Reprodução / Youtube)

O grunge ganhou fama mundial com Pearl Jam e o Nirvana, mas, definitivamente, não foi criado por essas duas bandas. De acordo com a NME, a história do gênero musical começou no final dos anos 1970 e continua até os dias de hoje. 

Para relembrar a trajetória do grunge, o site britânico listou 15 discos que marcaram o subgênero do rock. Quem abre a lista é Rust Never Sleeps, do Neil Young, que foi lançado em 1979. 

Com 9 músicas, o disco explora um som mais elétrico e sombrio na segunda metade, como na canção “Hey Hey, My My (Into the Black)”. É com este trabalho que Young ganha o apelido de “Padrinho do Grunge”. 

+++ LEIA MAIS: Mariah Carey gravou no sigilo um disco de grunge nos anos 1990

Em seguida, o veículo cita Is This Real, do Wipers. Quando a cena punk ainda dominava a cena underground, a banda decidiu investir mais na distorção do que na velocidade para criar um som inédito, que inspirou muitos nomes do grunge nos anos seguintes. 

Para representar a década de 1980, foram escolhidos Come on Down, do Green River, o disco homônimo do Skin Yard, Gluey Porch Treatments, do  Melvins, e Superfuzz Bigmuff, do Mudhoney.

Então, a lista segue para os lendários anos 1990. O primeiro disco a marcar década é Ten, do Pearl Jam, que não foi um sucesso imediato, mas garantiu notoriedade para o gênero nas listas da Billboard. 

+++ LEIA MAIS: Produtor faz mashup inusitado de hit do Nirvana com batidas do drill e o resultado é surpreendente

Assim com o Pearl Jam, o Soundgarden trouxe novos tons para o grunge ao misturá-lo com outros gêneros musicais, como o heavy metal, no disco Badmotorfinger, em 1991. Neste mesmo ano, o Nirvana lançou Neverminde levou o gênero para o mainstream, influenciando todo o cenário cultural da época. 

O grunge não é só formado por homens e o L7 é a prova disso. O grupo liderado por Donita Sparks agitou a cena com o ativismo feminista e ganhou apoio do Nirvana, Red Hot Chili Peppers e Rage Against the Machine.

Hole, banda de Courtney Love, deu continuidade ao debate de questões feministas com o disco Live Through This, lançado em 1994. E Alanis Morissette foi a sucessora deste legado no post-grunge com o clássico Jagged Little Pill.  

+++ LEIA MAIS: Como Nirvana e Kurt Cobain inspiraram look icônico de Patricinhas de Beverly Hills?

O último disco dos anos 1990 citado pela NME é o álbum homônimo do Garbage, que misturou os resquícios do grunge com o pop e conseguiu se tornar um marco para o post-grunge. 

Em um pulo de 10 anos, a lista termina com Feels Like, do Bully, que até hoje mostra que, após mais de quatro décadas de existência, o grunge ainda está vivo. 

Confira 15 discos que contam a história do subgênero do rock e as canções mais marcantes de cada um deles, segundo a NME:

Neil Young + Crazy Horse, ‘Rust Never Sleeps’ (1979)


Wipers, ‘Is This Real?’ (1980)


Green River, ‘Come on Down’ EP (1985)


Skin Yard, ‘Skin Yard’ (1987)


Melvins, ‘Gluey Porch Treatments’ (1987)


Mudhoney, ‘Superfuzz Bigmuff’ (1988)


Pearl Jam, ‘Ten’ (1991)


Soundgarden, ‘Badmotorfinger’ (1991) 


Nirvana, ‘Nevermind’ (1991)


L7, ‘Bricks are Heavy’ (1992)


Alice in Chains, ‘Dirt’ (1992)


Hole, ‘Live Through This’ (1994)


Alanis Morissette, ‘Jagged Little Pill’ (1995)


Garbage, ‘Garbage’ (1995)


Bully, ‘Feels Like’ (2015)


+++ TERNO REI: ‘ANTES DE LANÇAR, VOCÊ NUNCA SABE SE É BOM OU RUIM’ | ROLLING STONE