Juiz acusa Star Wars de ser 'medíocre' para defender empresa de combustível; entenda

Kenneth K. Lee também criticou George Lucas por 'prometer fim de sequências medíocres e horríveis da franquia pouco depois de vendê-la para a Disney'

Felipe Grutter (com supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 04/06/2021, às 14h00 - Atualizado às 14h20

None
Star Wars - A Ascensão Skywalker (Foto: Reprodução Disney/ Lucasfilm)

O juiz estadunidense Kenneth K. Lee acusou os dois últimos filmes de Star Wars, Os Últimos Jedi (2017) e A Ascensão Skywalker (2019), de serem "medíocres e horríveis" durante processo entre as empresas ConAgra Foods Inc. e Wesson Oil. A informação é do CBR.

Em 2019, surgiram reclamações sobre a ConAgra Foods ter comercializado, enganosamente, óleos vegetais da marca Wesson como “100% naturais," embora sejam feitos de plantas e organismos geneticamente modificados (via Top Class Actions).

+++LEIA MAIS: John Boyega está aberto a voltar para Star Wars - mas tem uma condição

"Simplificando, Richardson - o novo proprietário da Wesson Oil - pode retomar o uso do rótulo '100% Natural' quando desejar, privando a classe de qualquer valor teoricamente concedido pela liminar," escreveu o juiz.

"ConAgra, portanto, essencialmente concordou em fazer nada sobre o qual ela não tem poder. Isso é como George Lucas prometendo fim de sequências medíocres e horríveis de Star Wars pouco depois vender a franquia para a Disney," continuou Lee. "Tal promessa seria ilusória. Como fica evidente em Os Últimos Jedi e A Ascensão Skywalker."

+++LEIA MAIS: Palpatine fez os Jedi mais fortes após Ordem 66 em Star Wars?

Ambos os filmes criticados por Kenneth K. Lee não caíram nas graças dos fãs e críticos. Os Últimos Jedi tem 42% de aprovação do público e 90% dos especialistas, enquanto A Ascensão Skywalker conta com 51% de jornalistas e 86% da audiência.


+++ SUPLA | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL