Por que o vídeo de "I Want To Break Free" acabou com o sucesso do Queen nos EUA?

No clipe, Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon interpretam donas de casa

Redação Publicado em 30/01/2020, às 10h38

None
Freddie Mercury no clipe de I Want To Break Free (Foto: Reprodução)

O clipe de "I Want To Break Free" foi um marco na carreira do Queen. Apesar de ter sido um sucesso na Inglaterra, o vídeo não foi bem recebido em outras partes do mundo, principalmente, nos Estados Unidos.

Em entrevista ao programa Fresh Air, em 2010, Brian May relembrou o processo de produção do clipe para a canção composta por John Deacon e falou que a principal inspiração foi a novela inglesa Coronation Street

+++ LEIA MAIS: Por que John Deacon não falou com Freddie Mercury antes da morte do ex-vocalista do Queen?

"Nós fizemos um vídeo para isso ["I Want To Break Free"] que era uma releitura de uma novela inglesa chamada Coronation Street. E nós nos vestimos com as personagens do programa. E elas eram personagens mulheres, então nos vestimos como garotas, como mulheres… Nós demos risadas fantásticas fazendo isso".

Ele completou: "Foi hilário fazer isso. E, ao redor do mundo, as pessoas riram. E elas pegaram a piada e meio que entenderam".

+++ LEIA MAIS: Freddie Mercury pediu para Mary Austin guardar um único e último segredo depois da morte dele; entenda

Contudo, o vídeo em que May, Deacon, Freddie MercuryRoger Taylor se vestem como mulheres foi extremamente criticado e até mesmo banido da MTV, que, na época, era a principal emissora de televisão norte-americana da cena musical.

"Eu lembro de estar na turnê de divulgação no centro-oeste dos Estados Unidos e as caras das pessoas ficaram pálidas. E eles disseram: "Não, nós não podemos tocar isso", disse May.

A proibição afetou a imagem e repercussão da banda pelo país e fez o hit ficar na 45ª posição do ranking Hot 100 da Billboard. Além disso, segundo o site Showbiz CheatSheet, a insatisfação chegou até o Brasil, onde um fã decidiu jogar pedras em Mercury durante o show da banda.


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL