Qual é o significado de Helter Skelter, música dos Beatles que inspirou assassinatos de Charles Manson?

Clássica canção do The White Album foi distorcida pelo serial killer

Redação Publicado em 01/08/2019, às 18h01

None
Os Beatles (Foto: AP Photo)

Em 1968, os Beatles tinham várias composições que o John Lennon chamava de "músicas de vovó" no álbum duplo conhecido como The White Album, como "Ob-La-Di, Ob-La-Da", enquanto "Blackbird" e "Julia" eram baladinhas mais calmas e bonitas. 

Mas os fãs também tiveram faixas mais pesadas. Com "Yer Blues", "Back in the USSRR" e "Savoy Truffle" de George Harrison, o icônico quarteto não esqueceu de ligar os amplificadores no 11 para gravar o álbum. 

Mas nenhuma música combinava com o volume e o caos absoluto de "Helter Skelter", de Paul McCartney. Desde o início do riff de guitarra até o baixo e gritos de vocais, a música é loucura do hard-rock.

Embora a música tenha sido distorcida na mente de Charles Manson após o lançamento de The White Album, a razão pela qual Paul escreveu a música foi bem simples e inocente. E o tema não poderia estar mais longe da interpretação de Manson.

+++ LEIA MAIS: Disco White Album, dos Beatles, "inspirou" série de assassinatos

Em 1968, em uma entrevista, Paul explicou como surgiu o conceito da faixa. Ele leu uma resenha sobre uma música do The Who que descreveu como "realmente gritante". 

Essa faixa, que acabou sendo "I Can See for Miles", não explodiu nos carros dos ouvintes. No entanto, o The Who aumentou o volume de rock da época. Na esperança de tentar algo novo no próximo álbum dos Beatles, Paul tentou fazer o mesmo. 

+++ LEIA MAIS: Qual foi o primeiro disco dos Beatles produzido sob efeito de LSD?

"Decidimos fazer o rock mais barulhento e mais desagradável que pudéssemos”, disse Paul em outra ocasião. Sua intenção era clara: ter os vocais mais barulhentos, enquanto as letras e acordes seriam mais secundários.

No estúdio, a banda tentou fazer a faixa mais alta e "suja" possível. No final, quando você ouve Ringo falar: "Eu tenho bolhas nos dedos", ele estava se referindo ao sangue em suas mãos depois de bater na bateria como um louco.

+++ LEIA MAIS: Alguém isolou as linhas de baixo do disco Abbey Road, dos Beatles, e é incrível; ouça

Na faixa, Paul canta sobre uma amante, sua atração e aventuras que viveram juntos. É posssível dizer que essa não é a sua música mais profunda - e nunca foi destinada a ser. 

Em 1970, John Lennon disse à Rolling Stone EUA que as interpretações de "suas músicas poderiam às vezes chegar longe, mas nunca nesse nível" - fazendo referência a Manson. 

Mas a mente de Manson levou a música para um lugar obscuro. Para John, as letras dificilmente seriam ouvidas. "Foi apenas um barulho", disse ele.

+++ ENTREVISTA RS: Rubel fala de carreira acidental, conta como criou "Partilhar" e que quer ser popular