Rapper Tyga estreou no Brasil com atraso de 45 minutos, show de 1 hora, mulheres no palco e ótimos hits

O rapper norte-americano se apresentou em São Paulo na madrugada do último sábado, 25

Camilla Millan Publicado em 28/01/2020, às 17h37 - Atualizado às 19h00

None
Tyga (Foto: Divulgação/ Sony)

Eram 4h15 da manhã de sábado, 25, quando Tyga subiu ao palco do Urban Music Festival, em São Paulo, após 45 minutos de atraso. Atração principal, o rapper norte-americano abriu o show com "SWISH".

+++LEIA MAIS: Flo Rida, Tyga, Ludacris e mais: A lista dos 50 piores rappers que viralizou nas redes sociais

Tyga é considerado um dos principais nomes do rap internacional, com cerca de 3 bilhões de visualizações em vídeos no Youtube e mais de 33 milhões de ouvintes mensais no Spotify. Com 30 anos, o rapper possui sete álbuns. Legendary, lançado em junho de 2019, é o último disco do músico. 

O rapper começou a carreira em 2008, com o lançamento do álbum independente No Introduction. No entanto, foram as parcerias realizadas nos anos seguintes que fizeram de Tyga um sucesso. "Deuces", colaboração com Chris Brown em 2010, alcançou a 14ª posição no Billboard Hot 100 e 1º lugar no Billboard Hot R&B/Hip-Hop. "Rack City" e "Deuces" também aumentaram a popularidade do músico.

+++LEIA MAIS: Tchau, Cardi B! Lizzo é a rapper feminina que ficou mais tempo no topo das paradas

Apesar do sucesso no início da década de 2010, o show no Urban Music Festival no último final de semana - primeira apresentação do músico no Brasil - mostrou que Tyga não tem hits apenas no passado. Apostando em singles e colaborações com outros artistas ("Taste", "Ayy Macarena", "Loco Contigo"), os últimos anos da carreira do rapper não trouxeram uma queda na popularidade dele.

Antes do Tyga, passaram pelo festival os DJs Heron LovePuff, além do fenômeno do trap Recayd Mob, e os grupos Haikaiss e Costa Gold.

O show contou com mistura de hits novos e antigos, e mostrou, principalmente, que o rapper não gosta de se arriscar. A apresentação, repleta de refrãos conhecidos, não tinha como desagradar o público. Tyga, vestido de camiseta branca, tranças, óculos escuros e ostentando correntes e um grande anel de diamantes, apresentou um setlist de faixas certeiras. Não tentou se aventurar no português, mas satisfez a plateia de cerca de quatro mil pessoas.

+++LEIA MAIS: Grammy 2020: Tyler, The Creator comenta racismo na indicação de artistas negros: 'um elogio e um tapa com as costas da mão'

Dançarinas de pole dance subiram ao palco em "Haute", parceria com Chris Brown e J Balvin incluída no disco Legendary, de 2019. A segunda canção da apresentação foi interpretada aos gritos - em inglês - de "Façam barulho!" do rapper. "Faded", de 2012, também animou o público com o refrão de praticamente uma palavra sendo cantado em conjunto: "I'm faded faded faded / My ni*** I'm faded, faded, faded".

Sempre pedindo para o público fazer barulho entre as músicas, Tyga, ex- de Kylie Jenner, conseguiu envolver o festival com as mais famosas músicas da carreira. Um exemplo é a faixa de 2012 "Rack City". A canção marcou o começo da segunda parte do show, com uma sequência ininterrupta de trechos conhecidos.

+++LEIA MAIS: Rashid anuncia terceira temporada do disco Tão Real, com participações de Emicida, Lukinhas, Tuyo e mais

Não se ouvia a voz de Tyga quando o público cantou "Hookah": "Baby, pass me the hookah/ Baby, pass me the hookah/ Baby, pass me the hookah". O mesmo aconteceu com o hit "Go Loko" (parceria com YG e Jon Z): "Ay, my bi*** so loco (go loco, go loco, go loco)/ She bust that ass like a lolo (bust that ass, bust that ass)".

Enquanto um homem da produção ajudava o rapper a animar o público com frases - em inglês - de "Vamos lá!" e "Vamos, São Paulo", Tyga perguntou se os fãs queriam ouvir algo novo. Então o mais recente lançamento de músico, "Ayy Macarena" (combinação do rap de Tyga com a canção "Macarena", da dupla espanhola Los Del Río), fez o público dançar o passo famoso e cantar o "Eeei Macarena" ao final de cada sequência de steps.

+++LEIA MAIS: A$AP Rocky faz comentário hilário e autoconfiante sobre suposto vazamento de sextape

Depois vieram as faixas do álbum Fan Of a Fan (2015), parceria com Chris Brown. Entre "Loyal" e "Ayo", Tyga repetiu que amava São Paulo, e ficou mais a vontade para deixar o público cantar trechos das canções enquanto apontava o microfone para a plateia.

Depois de "Loco Contigo" e "Taste", outros dois sucessos do músico, o show entrou em uma confusa terceira parte. "Onde as mulheres estão?", repetiu Tyga enquanto chamava diversas garotas ao palco, tudo ao som gravado de "Bodak Yellow", de Cardi B.

+++LEIA MAIS: 50 Cent diz que "Chris Brown é melhor que Michael Jackson"

Enquanto diversas mulheres dançavam a canção e gravavam o momento nos celulares, Tyga sumiu. Depois, foi visto na mesa do DJ. O rapper reapareceu no meio do palco apenas ao final da música com uma bandeira do Brasil. "Girls Have Fun" e "Ayy Macarena" foram repetidas enquanto o rapper tentava se aproximar mais do público, e, ao mesmo tempo, se afastar das garotas já em cima do palco.

Com um total de 15 canções - todas encurtadas para a apresentação -, o esperado show durou menos de uma hora, e acabou apenas com as palavras, em inglês, de "Muito obrigado, São Paulo". Sem cerimônias, as luzes foram apagadas e faixas gravadas começaram a tocar, representando o final do show.

+++LEIA MAIS: Eminem responde por rima a favor da violência de Chris Brown contra Rihanna: 'Gravado há 10 anos'

O rapper não ficou muito em São Paulo. No sábado, 25, Tyga também se apresentou no Festival Planeta Brasil, em Belo Horizonte. No domingo, os fãs puderam curtir o som do rapper no Rio de Janeiro.


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL