Pulse

Para superar Friends: 5 motivos para acreditar que Brooklyn Nine-Nine é uma série melhor [LISTA]

25 anos depois da estreia da sitcom clássica, já está na hora de dar espaço para uma novidade

Yolanda Reis Publicado em 13/10/2019, às 12h00

None
Brooklyn Nine-Nine (Foto: Divulgação / Fox)

*** ATENÇÃO COM SPOILERS ***

Brooklyn Nine-Nine é, possivelmente, uma das séries de comédia mais subestimada atualmente. Criada pela Fox e mais tarde transferida para a NBC, o sitcom mostra o dia a dia de uma delegacia de polícia de Nova York - tipo Law and Order, mas de comédia - e os detetives que trabalham lá.

A série estreou a sétima temporada em 2019. As cinco primeiras estão disponíveis na Netflix. Mas nesse meio tempo, ela quase, quase, deixou de existir. A Fox, sua casa original, cancelou o programa - mas a NBC quis continuar. E ainda bem! Deu novo ar a uma produção que, beirando cancelamento, foi, sim, subestimada.

+++ LEIA MAIS: Por que Friends nunca vai ganhar um filme? Jennifer Aniston responde

A comédia estrelada por, entre outros, Terry Crews (Sargento Terry) e Andy Samberg (Jake Peralta) tem um humor leve e piadas bem inteligentes (de vez em quando), além de personagens simplesmente incríveis. Tem tudo para se tornar a preferida de muita, muita gente. 

Mesmo assim, Friends segue como líder no streaming - mesmo já tendo 25 anos de idade. A história dos amigos em NY foi, dois anos seguidos, a série mais vista da Netflixdo Reino Unido - e corresponde a 2% de tudo o que as pessoas veem no serviço.B99 apareceu na lista, também, em quarto lugar. Mas já passou da hora de estar em primeiro. E aqui estão os motivos:

+++ LEIA MAIS: Friends: 3 reviravoltas da história que quase foram ao ar, mas acabaram canceladas

Personagens

É muito, muito difícil escolher um personagem favorito de Brooklyn Nine-Nine. Muito, mesmo! Todos os nomes principais ou recorrentes têm um carisma próprio. Jake Peralta, o humor. Amy Santiago (Melissa Fumero), o perfeccionismo e a inteligência. A seriedade do Capitão Holt (Andre Braugher). As bizarrices de Charles Boyle (Joe Lo Truglio). O amor (e os músculos) enorme de Terry. A peculiaridade e petulância de Gina (Chelsea Peretti). A dureza de Rosa (Stephanie Beatriz); e, é claro, as nojentices e doenças de Hitchcock e Scully (DirkBlocker e Joel McKinnon Miller).

+++ LEIA MAIS: Friends: 25 motivos que provam como Ross é um boy lixo

Além disso, os recorrentes: Pimento (Jason Mantzoukas), o louco violento. Bandido do Pontiac (Craig Robinson), arquiinimigo de Jake e muitíssimo gente boa. E até o nariz em pé de Kevin (Marc Evan Jackson), marido de Holt, conquistam. 

Enquanto isso, em Friends, é mais difícil morrer de amores o tempo inteiro (principalmente pelo Ross [David Schwimmer], mas isso é assunto de uma outra matéria nossa). Mesmo que todos tenham traços nos quais todos se reconhecem, têm também um aspecto com o potencial de nos irritar. O Ross, por exemplo, sempre forçando tudo para ser da sua maneira. Phoebe (Lisa Kudrow), sempre sem noção. Monica (Courteney Cox), extremamente controladora. Rachel (Jennifer Aniston), bastante egoísta e mimada. Chandler (Matthew Perry), bem medroso. Joey (Matt LeBlanc) e a burrice extrema (mas essa é culpa dos roteiristas, que o deixaram cada vez mais idiota durante a série, ao ponto do impossível).


Episódios temáticos

Não existe algo recorrente e nem rotineiro em Friends. Cada episódio é um; a única data comemorada em todas as temporadas é Ação de Graças - mesmo assim, de maneiras diferentes. São episódios divertidos, mas não se comparam à hilaridade dos episódios de Halloween de Brooklyn Nine-Nine - muitas vezes, o capítulo mais esperado da temporada. 

+++ LEIA MAIS: Gunther, de Friends, revela por que o sofá do Central Perk nunca estava ocupado; entenda

Desde o primeiro ano, a série de policiais faz, durante o Halloween, uma competição entre os detetives da DP 99. No primeiro, foi apenas entre Jake e Holt, e valia o título de “Melhor Detetive/Gênio” - a aposta era que Jake conseguiria roubar uma medalha do escritório do capitão. No ano seguinte, o relógio do pulso dele. E depois, toda a equipe começou a participar. As artimanhas e as brincadeiras são impressionantes - e todo mundo quer saber como vai terminar. 

Além disso, em todas as temporadas, há o encontro de Jake com seu arquiinimigo, Doug Judy, o Pontiac Bandit - o maior ladrão de carros Pontiac que Nova York já viu. Mas a questão é que os dois são muito parecidos - e amissíssimos! E Judy sempre encontra uma maneira de escapar da prisão, o que frustra horrores o policial. Em todas as temporadas!


Final de Temporadas

Ambas as séries têm final de temporada envoltos em suspense. Mas, enquanto Brooklyn Nine-Ninevaria de tema, Friends fica sempre na mesma: o ioiô de Ross/Rachel ou, mais para o final, o romance perfeitinho de Chandler e Monica. Legal e fofo - mas eventualmente maçante. 

+++ LEIA MAIS: Como estariam os personagens de Friends hoje? Criadora da série responde

Isso não acontece com os policiais. Cada temporada de B99 termina com um cliffhanger eletrizante. E tem de tudo: crime, trapaça, demissões, amores. Cada final de temporada, algo diferente. E o melhor? A série ainda está em produção, o que significa que você precisa, de fato, esperar para saber o que acontece (e não só apertar o botão de “próximo episódio”).


Terry Crews

Conhecido no Brasil como “o pai do Chris” (Todo Mundo Odeia o Chris). Ótimo ator, personalidade incrível - e seu personagem, Terry, ainda é uma das melhores pessoas que existem. Não é preciso falar nada além de: Friends não tem Terry Crews.


Diversidade

Além do enredo incrível e piadas hilárias, Brooklyn Nine-Nine tem um aspecto que Friendsnão passa perto: a representatividade. Nos nove protagonistas, há de tudo um pouco, e não só o padrão. 

+++ LEIA MAIS: Vídeo revela homofobia escondida em piadas de Friends

Há dois personagens negros (Holt e Terry), duas latino-americanas (Amy e Rosa), um gay (Holt), uma bissexual (Rosa) e o protagonista, assim como Ross e Monica, é judeu (Jake). Eles falam abertamente de sexualidades distintas - ao contrário de Friends,que pesava bastante nas piadas homofóbicas - e de empoderamento da mulher. Ou seja: incrível.