'Bolsonaro não é Fidel, Chaves ou Kim', diz Flávio Bolsonaro sobre desfile militar

O senador defendeu Bolsonaro nas redes sociais após diversas críticas ao desfile militar realizado nesta terça, 10

Redação Publicado em 10/08/2021, às 10h36

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) se manifestou nesta terça, 10, para defender o desfile militar que aconteceu em Brasília nesta manhã. A parada foi realizada com o objetivo de entregar a Jair Bolsonaro (sem partido) um convite para exercício militar — e o ato recebeu diversas críticas.

Alguns políticos, como o senador Randolfe Rodrigues, consideraram o desfile uma intimidação do presidente. Nesta terça, 10, a Câmara dos Deputados fará uma votação para decidir sobre a PEC (proposta de emenda à Constituição) do voto impresso, defendida pelo chefe de Estado.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro recebe convite para exercício militar após desfile de blindados

O senador Flávio Bolsonaro saiu em defesa do presidente nas redes sociais, e comentou sobre as críticas realizadas ao desfile: “Entendo a esquerda associar militares a ditadura, afinal assim foi em Cuba, Venezuela, Coreia do Norte… Não se preocupem, Bolsonaro não é Fidel [Castro], Chaves [Hugo Chávez] ou Kim [Jong-un]. Bolsonaro é democrata, defende menos intervenção do Estado, não apoia MST, não desarmou a população e respeita a CF/88.”

O ato foi organizado pela Marinha, e já estava previsto para ocorrer nesta terça, 10. Bolsonaro, contudo, convocou diversas autoridades para presenciar o desfile, inclusive os presidentes das Casas Legislativas e do Judiciário.

+++LEIA MAIS: Para 58% dos brasileiros, Bolsonaro não tem capacidade de liderar o país

Em mensagem publicada nas redes sociais na segunda, 9. Bolsonaro escreveu: "Sr. Presidente do ... STF, Câmara Federal, Senado, TCU, TSE, STJ, TST, Deputados, Senadores... : como ocorre desde 1988, a nossa Marinha realiza exercícios em Formosa/GO. Como a tropa vem do Rio, Brasília é passagem obrigatória. Muito me honraria sua presença amanhã na Presidência (08h30), onde receberei os cumprimentos da Força e lhes desejarei boa sorte na missão."

Bolsonaro também assinou à mensagem como “Chefe Supremo das Forças Armadas”. A declaração do presidente gerou diversas reações de parlamentares. Conforme publicado pelo G1, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e a deputada Tabata Amaral (sem partido-SP) entraram com uma ação na Justiça para proibir a exibição militar, mas a ação foi rejeitada.


+++ FIUK: 'TENHO ROCK NA VEIA DESDE CRIANÇA' | ENTREVISTA | RS