James Gunn explica cena pós-créditos reveladora de O Esquadrão Suicida

Longa teve dois momentos extras, mas a segunda cena pós-créditos é importante para o futuro do DCEU

Felipe Grutter (com supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 06/08/2021, às 10h11

None
Elenco de O Esquadrão Suicida (Foto: Divulgação)

[Atenção: spoilers de O Esquadrão Suicida (2021) abaixo]

Depois de muita espera, O Esquadrão Suicida, dirigido por James Gunn, finalmente chegou aos cinemas brasileiros. Com bastante violência, explosões e humor característico do cineasta, o filme do Universo Estendido DC (DCEU) conta com duas cenas pós-créditos, uma bizarra e outra reveladora.

+++LEIA MAIS: Por que O Esquadrão Suicida ‘celebra’ rivalidade entre Marvel e DC?

O filme lançou na última quinta, 5, e a trama acompanha o envio dos supervilões mais perigosos (também esquisitos) do mundo para a remota ilha de Corto Maltese, em uma tentativa do governo dos EUA derrubar uma ditadura e destruir todos os vestígios do Projeto Estrela-do-mar.

Com elenco com nomes como Margot Robbie (Arlequina), Idris Elba (Sanguinário), John Cena (Pacificador), David Dastmalchian (Bolinha) e Viola Davis (Amanda Waller), a premissa do filme era "não se apegue." Ou seja, diversos integrantes do grupo de vilões morrem, seja de forma cômica ou dramática.

+++LEIA MAIS: Qual era o papel original de Taika Waititi em O Esquadrão Suicida, de James Gunn?

Entenda as duas cenas pós-créditos abaixo:


Doninha

Interpretado por Sean Gunn (irmão de James Gunn), Doninha é o personagem mais bizarro de O Esquadrão Suicida. Logo no começo da missão, é dado como morto por conta de afogamento. No entanto, na primeira cena depois dos créditos, o filme mostra o corpo do vilão na praia.

+++LEIA MAIS: Os melhores filmes de James Gunn: Guardiões da Galáxia, Esquadrão Suicida e mais [LISTA]

Milagrosamente, Doninha volta à vida e corre, todo feliz, em direção à floresta. Após isso, os créditos voltam a rolar para a chegada da próxima cena, a qual possui mais importância para o DCEU.


Pacificador

Em um dos momentos mais épicos de O Esquadrão Suicida, Pacificador tenta matar Caça-Ratos 2 (Daniela Melchior), porque a personagem pegou o HD com informações que revelam a participação do governo dos EUA no Projeto Estrela-do-mar, resultando em diversas mortes de inocentes.

+++LEIA MAIS: O Esquadrão Suicida e Guardiões da Galáxia são mesmo parecidos?

No entanto, Sanguinário aparece e salva a colega, dando um tiro na garganta do personagem de John Cena. Assim como aconteceu com Doninha, a segunda cena pós-créditos mostra como Pacificador sobreviveu - e foi levado para um hospital nos Estados Unidos para tratar dos ferimentos graves.

Vale lembrar: o vilão terá a série própria na HBO Max, com lançamento previsto para janeiro de 2022. Em entrevista ao Cinema Blend, James Gunn revelou os detalhes do seriado, assim como os planos originais.

+++LEIA MAIS: O que Margot Robbie espera para Arlequina após Esquadrão Suicida 2?

"Pensei na série como prequela e, no final do dia, pensei: 'Eh, odeio prequels.' Queria continuar contando a história dele, e pensei como não estava realmente interessado em ver quem era Pacificador antes de tudo isso, porque ele é uma verdadeira figura," afirmou. "Muitos dos outros personagens passam por mudanças profundas neste filme, e se tornam pessoas muito diferentes no final da situação, menos Pacificador; ele realmente fica um pouco pior."

James Gunn também comentou quais expectativas sobre a série do personagem, e o que o público pode esperar: "Eu estava interessado em ver de onde ele veio, como se tornou essa pessoa e para onde poderia ir a partir daí. Nós temos esse show incrivelmente ótimo, e não é só ele, é também Jennifer Holland como Emilia Harcourt, quem está no filme. Steve Agee é John Economos, então dois personagens principais."

+++LEIA MAIS: Quais filmes de guerra inspiraram O Esquadrão Suicida? James Gunn responde

"E então a amizade com a personagem de Danielle Brooks, quem é o oposto político dele," continuou. "Também é uma chance... Há uma espécie de Tudo em Famíla (1971 - 1979) acontecendo com a política do show. Tem realmente sido uma alegria absoluta fazer o programa de TV."


+++ FIUK: 'TENHO ROCK NA VEIA DESDE CRIANÇA' | ENTREVISTA | RS