Mick Jagger volta aos cinemas após 20 anos: 'o papel do diabo', diz diretor de The Burnt Orange Heresy

Último papel do ator foi em 2001, no longa Confissões de um Sedutor

Redação Publicado em 05/03/2020, às 20h01

None
Mick Jagger em 'The Burnt Orange Heresy' (Foto: Jose Haro/Sony Pictures Classics via AP)

Mick Jagger, vocalista dos Rolling Stones, é um dos astros do novo filme da Sony Pictures Classics, The Burnt Orange Heresy. O longa será lançado na próxima sexta-feira, 6, e o astro estará no papel de um colecionador de arte diabólico que convence um jornalista de arte (Claes Bang) a usar uma entrevista com um artista recluso (Donald Sutherland) como uma oportunidade para roubar uma das pinturas dele. As informações são do Estadão.

The Burnt Orange Heresy é dirigido por Giuseppe Capotondi e baseado no romance de Charles B. Willeford de 1971. Segundo o cineasta, quando ele encontrou Jagger para discutir sobre o papel, o astro foi muito humilde. "Ele disse: 'Olha, eu não faço isso há 20 anos. Posso estar enferrujado'', lembrou.

+++ LEIA MAIS: ‘Dancing in the Street’, de David Bowie e Mick Jagger, fica divertidíssimo sem áudio; assista

O diretor continuou: "Interpretar o diabo é algo que pode atrair a maioria dos atores. É um personagem tão peçonhento. Considerando ser um Rolling Stones, acho bastante adequado".

Em entrevista para o Estadão, o astro falou sobre o personagem que interpreta no filme: "Ele basicamente é encantador e ameaçador com o que quer. Não tem muito tempo na tela, mas é ele quem desencadeia a ação".

+++ LEIA MAIS: George Harrison, Bob Dylan e Mick Jagger criaram de improviso a melhor versão para ‘I Saw Her Standing in There’

O músico também falou sobre a carreira de ator: “Gostaria de ter atuado mais. Acabei atuando aqui e ali sempre que pude”. Depois, o músico riu e continuou a declaração: "Você sabe, tenho outro emprego. Na verdade, tenho vários outros empregos".

O astro de 76 anos disse gostar da carreira dupla, na música e nos cinemas: "Sempre gostei da ideia. Gosto da mudança de ritmo e da mudança de foco do desempenho. Quando estou me apresentando hoje em dia, é principalmente em lugares muito grandes na frente de muitas pessoas, enquanto quando você está em um cenário pequeno, está se apresentando muito mais sutilmente e não com gestos tão elaborados. Você realmente precisa suavizar".

+++ LEIA MAIS: Ouça a voz isolada Mick Jagger em "Sympathy For The Devil", dos Rolling Stones

The Burnt Orange Heresy é o primeiro filme de Jagger desde Confissões de um Sedutor (2001). Um dos melhores filmes do astro está na lista dos primeiros atuados pelo músico: Performance, de 1970. No longa, ele interpretou uma estrela do rock viciada em drogas e com gênero dúbio.

Assista ao trailer do filme:


+++ KAROL CONKA NO DESAFIO 'MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO'