Pulse

Os Beatles foram invenção socialista para fazer garotas abortarem, diz novo presidente da Funarte

Segundo Dante Mantovani, o objetivo da banda, e do rock, era desestabilizar a "família tradicional americana" e acabar com o ocidente inteirinho

Redação Publicado em 02/12/2019, às 16h05

None
Beatles (esq.) e Dante Mantovani (dir.) (Foto 1: AP e Foto 2: Divulgação / Dante Mantovani / Site Pessoal)

Dante Mantovani, músico e agora YouTuber, assumiu nesta segunda, 2, o posto de presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), informa a Rádio Bandeirantes no Twitter. Graduado em Música, o político tem um canal de vídeos no qual fala sobre música erudita - e disseca algumas teorias políticas. 

Uma dessas teorias em vídeo fala sobre o rock. E apresenta uma ideia pouco lisonjeira. Para Mantovani, “o rock ativa a droga, que ativa o sexo, que ativa a indústria do aborto”. E não apenas isso. Acredita que algumas bandas - como os Beatles e o Elvis Presley - conspiraram há décadas  - em parceria com a União Soviética - para destruir a moralidade, a cultura ocidental e até o capitalismo.

+++ LEIA MAIS: Por que Paul McCartney não usava drogas como os outros integrantes dos Beatles? 

Em um dos vídeos, o novo chefe da Funarte explica ”a relação entre os Beatles e o [Theodor] Adorno,” um filósofo e compositor alemão conhecido por teorizar o termo “indústria cultural,” usado para mostrar como a cultura popular pode virar algo industrial e fabricado - e ideal para manipular massas. 

Para ele, Adorno - que também era pianista e compositor - “detestava o ocidente e queria destruir o ocidente com suas teorias filosóficas e neomarxistas.” Para conseguir esse objetivo, então, fez um acordo com a União Soviética, que  “mandou agentes infiltrados para os Estados Unidos para realizar experimentos com certos discos [dos Beatles] realizados para crianças.”

+++ LEIA MAIS: O que John Lennon achava do Led Zeppelin depois do fim dos Beatles? 

Ele explicou, ainda, como depois a União Soviética passou a trabalhar com adolescentes para “desestabilizar a juventude americana” e destruir a moralidade e acabar com as famílias americanas para, então, tentar instaurar o socialismo. E como conseguiriam isso? Conversando com os jovens.

Mantovani acredita que a infiltração soviética nos Estados Unidos começou com Elvis Presley. Depois, mais ativamente, no festival Woodstock - pois, para ele, agentes soviéticos infiltrados na CIA entregaram LSD para os jovens para fazê-los ficarem viciados - pois as drogas influenciavam na liberdade sexual, e faziam com que as garotas engravidassem e, então, abortassem - o que daria fim a novos bebês americanos. Tudo isso, claro, influenciado pelo rock.

+++ LEIA MAIS: "Ob-La-Di, Ob-La-Da", dos Beatles, é a música pop mais próxima da perfeição; entenda

E acima disso tudo - agentes soviéticos infiltrados, drogas, manipulação, aborto - há, também no rock, o satanismo, garante. “John Lennon disse abertamente e mais de uma vez que fez um pacto com o Diabo,” afirma Mantovani. “Na capa dos discos dos Beatles, há certas imagens que fazem referência a rituais satanistas. Isso não é de se desprezar! É demonismo, satanismo, bruxaria.”

Assista à teoria no vídeo abaixo: 


 +++ TRÊS DICAS PARA NÃO SER UM 'SACO DE VACILO', POR HOT E OREIA