Pulse

Por que Ringo Starr foi o único dos Beatles que não tocou bateria em "Back In The USSR"?

Em 1968, durante as gravações do White Album, o quarteto precisou se virar com a presença de apenas três integrantes

Redação Publicado em 28/10/2019, às 12h53

None
Os Beatles (Foto: AP Photo)

Durante as gravações do lendário White Album, em 1968, os Beatles passaram por incontáveis momentos de estresse, brigas e integrantes que abandonavam o estúdio no meio do trabalho. Em uma dessas, Ringo Starr, cansado de tanto desentendimento, foi embora e deixou as baquetas para quem se colocasse à disposição.

Sem um baterista, o quarteto mais famoso de Liverpool (que naquela hora específica era, na verdade, um trio) precisou se virar na hora de gravar o clássico "Back in The USSR". E para isso, Paul McCartney, John Lennon e George Harrison revezaram a função, na tentativa de suprir a ausência do colega.

Mas Ringo não foi o único a ficar de saco cheio. O engenheiro de som Geoff Emerick (que também trabalhou em Revolver e Sgt. Pepper's) se demitiu na mesma época.

+++Leia mais: Paul McCartney na bateria, George Harrison no baixo: 9 grandes trocas instrumentais dos Beatles

Quem assumiu o posto foi Ken Scott, que contou na coletânea The Complete Beatles Recording Sessions: "Pelo que me lembro, eles fizeram 'Back in the USSR' com algo como uma gravação de bateria composta por vários pedacinhos".

E de acordo com os registros de áudio, pelo que ele se lembra, Paul foi o primeiro a assumir a bateria, e os outros dois fizeram suas respectivas tentativas no dia seguinte.

Apesar dessa boa vontade coletiva, os Beatles que ainda estavam na ativa perceberam que era necessário ter o quarto integrante de voltar, e mandaram um telegrama para ele, com um pedido um tanto quanto desesperado para que voltasse. E, claro, ele voltou para terminar o disco.