A rixa de Paul McCartney e Yoko Ono: por que eles brigaram sobre créditos das músicas dos Beatles?

Para Ono, a atitude de Paul na época foi "absolutamente inapropriada" e "mesquinha"; entenda

Redação Publicado em 11/06/2020, às 11h16

None
Yoko Ono, John Lennon e Paul McCartney em 1968 (Foto: Peter Kemp / AP Photo)

Paul McCartney se juntou a John Lennon para compor muitas e muitas músicas dos Beatles. Mas sabemos que nem tudo foi as mil maravilhas.

+++ LEIA MAIS: Filho achava John Lennon 'hipócrita' por defender a paz, o amor e destruir a própria família

Após a morte de Lennon, em 1980, McCartney tentou alterar a ordem dos fatores, trocando o nome da parceria de Lennon-McCartney para McCartney-Lennon. 

Em entrevista ao jornal The Telegraph em 2015 (via Daily Express), McCartney relembrou o início de tudo: “Tivemos uma reunião com Brian Epstein [gerente dos Beatles]. Cheguei tarde (...) Estávamos pensando que deveríamos dar às músicas o crédito de Lennon e McCartney.”

+++LEIA MAIS: Yoko Ono acredita que John Lennon era bissexual

“Eu disse: ‘Tudo bem, mas por que não McCartney e Lennon, quando eu escrever? Parece bom também’. Eles disseram: ‘Ok, o que faremos é alternar: Lennon e McCartney, McCartney e Lennon.' Bom, isso não aconteceu. E eu não me importei”, continuou.

Depois, McCartney ficou cada vez mais frustrado e tentou reverter o jogo, como explicou o Daily Express. Mas uma pessoa estava lá para detê-lo: a viúva de Lennon, Yoko Ono.

+++LEIA MAIS: Paul McCartney sabia que John Lennon deixaria os Beatles, mas não culpa Yoko Ono pelo fim da banda; entenda

Em 2002, Ono entrou na justiça para impedir que McCartney mudasse a ordem dos créditos. Na época, seu advogado disse ao Telegraph: “Isso foi feito contra os desejos dela. Paul está manchando seu próprio legado. Ele e John fizeram um acordo há mais de 40 anos. Agora, John não está aqui para se posicionar.”

Naquele mesmo ano, Ono disse que a tentativa de McCartney foi “absolutamente inapropriada”: "É muito mesquinho. John e Paul frequentemente discordavam sobre quais músicas foram escritas por quem. Se John estivesse aqui agora, eles poderiam discutir sobre isso. O ponto é que ele não está.”

+++ LEIA MAIS: John Lennon se sentiu traído quando Paul McCartney lançou o primeiro álbum solo: "Eu fui um tolo"

Um ano depois, eles se resolveram, com McCartney concordando em manter as coisas como estavam. Em 2003, ele disse: “Estou feliz com o que é e sempre foi. Lennon e McCartney ainda é a marca registrada do rock 'n' roll da qual tenho orgulho de fazer parte - na ordem em que sempre foi."

 

 


+++ DELACRUZ | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO