Yoko Ono acredita que John Lennon era bissexual

Em uma entrevista, a artista plástica relembrou de uma conversa que teve com o astro dos Beatles sobre sexualidade

Redação Publicado em 31/12/2019, às 15h00

None
John Lennon e Yoko Ono (Foto: AP)

John Lennon conheceu Yoko Ono em 1966, enquanto ainda era casado com a primeira esposa, Cynthia Lennon. Após o astro do Beatles e a artista vanguardista se unirem, o primeiro relacionamento de Lennon chegou ao fim e os dois se casaram em 1969. 

Em determinado momento, em uma entevista ao The Daily Beast, a artista deu algumas declarações sobre o ex-Beatle.

"Tivemos uma grande conversa sobre isso, e chegamos a conclusão de que nós devemos ser bissexuais", declarou ao jornal.

+++ LEIA MAIS: Filho achava John Lennon 'hipócrita' por defender a paz, o amor e destruir a própria família

"E nós acreditamos que não somos [bissexuais] por causa da sociedade". Ela acrescenta: "estamos escondendo o outro lado de nós mesmos, e isso não é aceitável".

Quando questionada se Lennon havia feito sexo com pessoas do mesmo sexo, Ono responde que "acha que não". 

"No ano em que ele foi morto, ele me disse: 'Eu poderia ter feito isso, mas não posso, porque nunca encontrei alguém que fosse tão atraente.' John e eu gostávamos de pessoas atraentes - você sabe, com beleza."

+++ LEIA MAIS: Como Elton John ajudou John Lennon e Yoko Ono a se reconciliarem?

No entanto, a artista revelou à publicação que achava que Lennon queria fazer sexo com outros homens, mas que estava "muito inibido". 

O relacionamento entre Ono e Lennon era muito intenso e os dois eram abertos um com o outro. Desde o primeiro instante em que se conheceram, eles se apaixonaram profundamente. 

Um tempo depois, Lennon deixou os Beatles e começou a fazer músicas mais experimentais ao lado da esposa. Inclusive, muitos fãs culpam (indevidamente) a artista pela separação do icônico quarteto. 

+++ LEIA MAIS: Yoko Ono rebate acusações sobre o fim dos Beatles: "para mim também foi muito ruim"

Porém, Ono sempre se defendeu quando acusada de ser o motivo do rompimento e Paul McCartney enfatizava que Lennon deixou o grupo por conta própria e independentemente de qualquer coisa. 

Em 2012, a artista revelou em entrevista que ela e Lennon estavam "muito conscientes de que estávamos arruinando a carreira um do outro"


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'