Há 45 anos, Bowie explodia polêmica fascista e de drogas com Station to Station [FLASHBACK]

Em 1976, cantor se apresentava na Isolar – 1976 Tour para promover o décimo disco da carreira

Mariana Rodrigues (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 03/05/2021, às 18h24

None
David Bowie (Foto: Joe Schaber/AP)

Há 45 anos, David Bowie se apresentou no primeiro de seis shows da Isolar – 1976 Tour no estádio de Wembley, em Londres, Inglaterra. A turnê promovia o décimo disco do cantor, Station to Station (1976), considerado um dos trabalhos mais importantes da carreira.

Foi uma fase intensa na vida de Bowie. No ano anterior, envolveu-se em diversos problemas devido ao uso de drogas, principalmente de cocaína. Além de permanecer dias sem dormir, sobreviveu com uma dieta a base de pimenta e leite.

+++ LEIA MAIS: Alice Cooper afirma que 'abriu uma grande porta' para David Bowie e Lou Reed com shows teatrais

Trancado em uma casa em Bel Air, em Los Angeles, ficou obcecado com o ocultismo e chegou a ver corpos caindo da janela, como relatado pela Rolling Stone EUA. Posteriormente, Bowie se referiu a esse período como "os dias mais sombrios da minha vida."

Foi nesse cenário caótico que nasceu Station to Station. Considerado um álbum de transição, possui influência da música eletrônica, diferente do disco anterior, Young Americans(1975), o qual foca no funk e soul.

+++ LEIA MAIS: Jon Bon Jovi viu Freddie Mercury e David Bowie gravarem ‘Under Pressure’: 'Ninguém acredita'

Menos de duas semanas após o lançamento, Bowie saiu em turnê. A Isolar – 1976 Tour começou pelos Estados Unidos e Canadá e terminou na Europa. Em maio, apresentou-se na cidade natal, Londres, por seis noites seguidas.

Os shows começavam com imagens do filme surrealista Um Cão Andaluz (1929), com a música "Radioaktivität" da Kraftwerk de fundo. Essa turnê também foi responsável pela última grande persona de Bowie, o Thin White Duke, um homem com camisa branca, calças pretas, colete e uma personalidade mais sombria do que nunca.

+++ LEIA MAIS: Primeira vez desastrosa: David Bowie foi proibido de se apresentar nos EUA em 1971 [FLASHBACK]

Em 3 de maio de 1976, Bowie apresentou quatro faixas do novo disco: "Station to Station," "Word on a Wing," "Stay" e "TVC 15." Músicas de outros álbuns como Hunky Dory (1971), Aladdin Sane (1973) e The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars(1972) também estavam na setlist.

Apesar de ser um dos trabalhos mais memoráveis do cantor, também foi uma das épocas mais polêmicas da vida dele. Durante os anos 1970, Bowie foi muito criticado por declarar apoio aos movimentos pró-fascistas. Em entrevistas, até disse como Adolf Hitler era uma das primeiras estrelas do rock, "tão bom quanto Mick Jagger."

+++ LEIA MAIS: Ex-esposa de David Bowie, Angie, critica filme sobre o astro: 'Total perda de tempo'

Um dia antes da primeira apresentação em Wembley, Bowie chegou a Londres em uma Mercedes-Benz conversível e, supostamente, fez uma saudação nazista ao público. O gesto foi capturado por um fotógrafo e publicado no NME. A situação ficou conhecida como "incidente da Estação Victoria."

O cantor alegou estar apenas acenando quando a foto foi tirada. Posteriormente, Bowie se arrependeu dos posicionamentos daquela época, dizendo estar fora de si. A Isolar – 1976 Tour se encerrou no mesmo mês, no dia 18 de maio, em Paris, França.

+++ LEIA MAIS: David Bowie recusou homenagem de Rainha Elizabeth duas vezes


+++ KONAI | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL