Pulse

Robert De Niro é acusado de discriminação de gênero e assédio por ex-funcionária

O ator está sendo processado e vítima pede indenização de US$ 12 milhões

Redação Publicado em 04/10/2019, às 12h16

None
Robert DeNiro (Foto:Sthanlee B. Mirador/Sipa USA)

O ator ganhador de Oscar Robert De Niro foi acusado de discriminação de gênero e por promover um ambiente de trabalho abusivo para mulheres. Ele está sendo processado pela ex-funcionária Graham Chase Robinson e, se condenado, poderá ser multado em US$ 12 milhões 

Dentre as acusações estão o uso de linguajar sexista propositalmente, chamando funcionárias de “v****s”. Robinson, a assistente executiva de De Niro, teria sido chamada de a “esposa de escritório” dele.

+++Leia mais: Robert De Niro processa ex-empregada que assistiu Friends no trabalho por US$ 6 milhões

RobertDeNiro é alguém preso a costumes velhos”, consta na ação judicial do processo. “Ele não aceita a ideia de que homens devem tratar mulheres como iguais. Ele não se importa que discriminação de gênero seja um crime. A senhorita Robinson é uma vítima desta atitude.”

A empresa do ator moveu um processo de US$ 6 milhões contra Robinson em agosto, acusando ela de desvio de dinheiro de maratonar séries da Netflix no trabalho. O processo viralizou devido a alegação de que Robinson passou quatro dias assistindo Friends.

A leva de acusações acontece enquanto De Niro estrela em dois grandes lançamentos de filmes, Coringa, a adaptação do personagem de HQ que estreou nesta quarta feira dia 3, e em O Irlandês, um épico de gângster que é considerado um favorito ao Oscar. A empresa de De Niro, Canal Productions, também é citada no processo.

+++Leia mais: Robert De Niro, Al Pacino, máfia e assassinatos: Martin Scorsese está de volta com The Irishman

No processo, Robinson diz que foi mal paga em comparação com colegas do sexo masculino e recebeu "deveres femininos como trabalho doméstico". De Niro supostamente brincou com Robinson sobre ter uma receita de Viagra, pediu a ela para imaginá-lo no banheiro e sugeriu que ela pudesse engravidar usando esperma de um colega de trabalho casado.

Robinson continua dizendo que, em abril, ela apresentou sua carta de demissão e pediu que seu advogado dissesse à equipe de De Niro que ela estava pensando em um processo que trataria da discriminação de gênero e de salários do ator.

“Como resposta, De Niro fez igual a Bill O’Reilly”, diz o texto do processo. “Antes que a senhorita Robinson pudesse processar, De Niro retaliou.”

O representante do ator disse: “As alegações feitas por GrahamChaseRobinson contra RobertDe Niro são mais do que absurdas.”