Pulse

Joaquin Phoenix chegou a abandonar o set de Coringa e espantar o elenco, diz jornal

O único colega que o ator não abandonou foi Robert De Niro

Redação Publicado em 11/09/2019, às 13h13

None
Joaquin Phoenix como Coringa (Foto: Reprodução Warner)

Parece que concentrar toda a energia sombria e pesada necessária para interpretar o Coringa cobrou um preço no astro Joaquin Phoenix, que segundo o New York Times, “perdeu a compostura no set, às vezes espantando seus colegas de elenco.”

O diretor Todd Phillips contou ao jornal sobre os surtos de Phoenix: “No meio da cena ele apenas dava de costas e saía. E os outros pobres atores pensavam que era culpa deles e nunca era - sempre era ele [Phoenix], ele apenas não estava conseguindo sentir a cena.”

+++Leia mais: 3 motivos para acreditar que o Coringa de Joaquin Phoenix será épico - 3 motivos para duvidar [LISTA]

Apesar de sair do set, o ator sempre retornava após uma pausa. Phillips relembra que Phoenix garantiu a ele depois de um momento particularmente tenso da filmagem: “Nós vamos sair para dar uma caminhada e então vamos voltar e fazer isso.”

Porém, uma pessoa que o astro nunca abandonou em cena foi Robert De Niro, que interpreta o apresentador de talk show Murray Franklin, a quem o personagem de Phoenix idolatra. De Niro contou em entrevista que o colega era um “profissional intenso” quando estavam juntos no set.

De Niro já interpretou diversos homens instáveis mentalmente nos cinema, principalmente o personagem Travis Bickle em Taxi Driver (1976), dirigido por Martin Scorsese (uma atuação que é influência direta para o Arthur Fleck de Coringa). Portanto, o ator conseguia entender o sofrimento de Phoenix.

Joaquin foi muito intenso no que fazia, como deveria ser e em como ele deveria se tornar,” disse DeNiro. “Não há nada para ser dito, pessoalmente, apenas deixar de lado e ‘vamos tomar um café, vamos apenas fazer o trabalho.’”

Tanto esforço e frustração de Phoenix podem dar a ele a quarta indicação ao Oscar, após uma por Melhor Ator Coadjuvante (Gladiador, de 2002) e duas por Melhor Ator (Johnny &June, de 2005, e O Mestre, de 2012). Coringa já vem atraindo muita atenção devido a larga aprovação no festival de Veneza, no qual o filme ganhou o Leão de Ouro.