'Não posso receber?', questiona Bolsonaro sobre Beatrix von Storch, deputada alemã de extrema-direita

Em conversa com apoiadores nesta quinta, 29, Jair Bolsonaro comentou sobre o encontro com Beatrix von Storch

Redação Publicado em 29/07/2021, às 15h28

None
Jair Bolsonaro, Beatrix von Storch e o marido Sven von Storch (Foto: Reprodução/Instagram)

Jair Bolsonaro (sem partido) comentou nesta quinta, 29, sobre o encontro com a deputada alemã de extrema-direita, Beatrix von Storch, ocorrido semana passada fora da agenda oficial. Em, conversa com apoiadores, presidente afirmou que a política foi “eleita democraticamente”.

Segundo informações do O Globo, von Storch, neta do ministro das Finanças de Adolf Hitler, foi investigada anteriormente por declarações xenófobas. A deputada também é líder do polêmico partido nacionalista-conservador Alternativa para a Alemanha — Bolsonaro, contudo, disse que não pode “ver a ficha” de toda pessoa que recebe.

+++LEIA MAIS: Pesquisadora encontra carta de Bolsonaro publicada em sites neonazistas; entenda

“Não posso receber essa deputada?”, questionou Bolsonaro. “Foi eleita democraticamente na Alemanha. Se eu for ver a ficha de cada um para ser atendido... Primeiro, vou demorar horas para atender.”

O presidente também afirmou que se reuniu com um deputado chileno, sem citar nomes: “Semana passada tinha um deputado chileno e uma deputa alemã visitando a Presidência. Poxa, tratei, conversei, bati um papo. Vai que a deputada alemã é neta de um ex-ministro do Hitler. Me arrebentaram na imprensa. Acho que a gente não pode ligar um pai a um filho, muitas vezes, um fez uma coisa errada,” justificou Bolsonaro.

+++LEIA MAIS: ‘Está difícil’, diz Bolsonaro sobre busca por partido para eleições de 2022

A reunião entre Bolsonaro e Beatrix von Storch foi divulgada pela deputada, que publicou uma foto com o presidente nas redes sociais. A parlamentar se reuniu com outros políticos brasileiros, como Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF).

Conforme noticiado pelo O Globo, o encontro foi criticado por diversas organizações e entidades, como o Museu do Holocausto e a Confederação Israelita do Brasil (Conib). A dcelaração de Jair Bolsonaro nesta quinta, 29, foi transmitida e publicada pelo canal Foco do Brasil, simpático ao presidente:

+++LEIA MAIS: Governo Bolsonaro celebra Dia do Agricultor com foto de homem armado


+++ 15 ANOS DE GISELE BÜNDCHEN NA CAPA DA ROLLING STONE BRASIL | ENTREVISTA