A incrível história de como uma banda criou um disco falso do Green Day - e enganou muita gente

Três garotos canadenses, integrantes do grupo Panicland, acharam que criar um álbum que imitasse a banda seria algo realmente divertido

Redação Publicado em 24/01/2020, às 18h10

None
Capa de Magnun Opus of the Inglorious Kind, disco falso do Green Day (Foto: Reprodução / Reddit)

Quando o Green Day anunciou em setembro de 2019 o lançamento do novo disco, Father of All…, muita gente ficou confusa; isso ia contra vários rumores que diziam que o novo álbum se chamaria Magnum Opus of the Inglorious Kind- e inclusive já tinha algumas músicas vazadas por aí. 

Mas acontece que Magnum Opus of the Inglorious Kind nunca existiu. Pelo menos, não como um disco do Green Day - e sim como uma pegadinha muitíssimo bem preparada por Braedon Horbacio, Ian Willmer e Riley Horbacio, integrantes da banda Panicland que fizeram milhares de pessoas acreditarem que Billie Joe Armstrong, Mike Dirnt e Tre Cool tinham gravado diversas faixas de um disco vazado.

+++ LEIA MAIS: "Minha mãe bebia junto com o Green Day", relembra Dave Grohl sobre viagens com Foo Fighters

Tudo começou quando os garotos da Panicland viram no Reddit uma suposta tracklist do próximo disco do Green Day. Apareciam o nome de 13 músicas, como “Burn It All,” “Take a Stand” e “Don’t Patronize Me.” E acharam que seria muitíssimo engraçado escrever e gravar músicas que tivessem esses nomes no estilo Green Day.

“Dissemos ‘ok, vamos fazer um disco de fanfic’. Tipo o disco do Green Day que todo fã quer ouvir. Sabe como as fãs escrevem fanfics de livros, e tal? Tipo isso. Mas com música,” explica B. Horbacio em vídeo gravado para explicar tudo o que aconteceu.

+++ LEIA MAIS: Green Day: Billie Joe acordou no final de setembro, e fez vídeo para provar

Primeiro, fizeram uma arte para a capa. Com base em uma das faixas - “Rome Falls” - escolheram uma imagem de stock, com anjos e soldados romanos, e colocaram os rostos dos integrantes do Green Day na face dos personagens. As tatuagens, também. 

Depois que já tinham a montagem, imprimiram e colaram na capa de um outro disco. Para parecer que tinha uma pilha de álbuns, imprimiram varias outras versões e colaram em pedaços de papelão cortados do tamanho de capas de discos. Empilharam os papelões e fizeram uma foto como se fosse uma pilha de capas. Pareceu, mesmo!

+++ LEIA MAIS: Green Day muda letra de American Idiot para atacar Donald Trump

Então, já tinham um nome e uma capa. Agora, precisavam das músicas - pois não existe álbuns sem elas. Foram para o estúdio. Gravaram baterias no estilo de Tré Cool. Guitarras que são a cara de Billie Joe. E, para imitar a voz dele, primeiro isolaram alguns sons (como “yeah” e “wow”) de algumas músicas do Green Day. Depois, B. Horbacio tentou cantar com a voz mais rouca, como Armstrong. Os resultados foram impressionantemente parecidos.

Agora, vinha a parte de fazer parecer que não era apenas algo de fãs - e sim um vazamento de música. Criaram um cenário para um vídeo de Snapchat mostrando “os integrantes do Green Day” em um estúdio. Tentaram recriar o tipo de vídeo que vazou quando o disco 21st Century Breakdown (2009) acabou nas redes. Tinham detalhes pequenos, também, como a capa do disco na bancada (isso também aconteceu nas gravações de American Idiot).

+++ LEIA MAIS: Green Day não quer fazer um American Idiot 2 para Donald Trump: 'Ele que se f***' [ENTREVISTA]

Para divulgar tudo, então, criaram um Instagram falso. Chamava-se Dr. Robert Doback, em homeagem ao personagem de Step Brothers, uma das séries favoritas de Billie Joe. “Então, postamos o vídeo,” explica B. Horbacio. “E os fãs fizeram o resto. Isso espalhou até sair do controle.”

Nos vídeos, tomaram alguns cuidados: blusas de manga comprida para esconder o fato de que não têm as mesmas tatuagens que os integrantes. Capuz, também, para não mostrar o cabelo.

+++ LEIA MAIS: Playlist: 17 músicas que todo emo dos anos 2000 ouviu até cansar

Então, só faltava algo: espalhar as músicas por aí. Gravaram quatro: “Burn It All,” “Take a Stand,” “Rome Falls” e “Don’t Patronize Me.” Os comentários nas redes sociais mostravam a certeza de que quem cantava era Billie Joe. Mike estava no baixo. Tré, na bateria. A semelhança era tanta que seria quase impossível aquele não ser o Green Day. Além do mais… “Não dá para acreditar que alguém gastaria tanto tempo nisso.”

Mas logo em seguida, veio um anúncio oficial: o Green Day garantiu que o nome do novo disco da banda seria Father of All the Motherfuckers. E algo muito doido, aqui: os fãs começaram a associar o nome a Magnum Opus of the Inglorious Kind! Havia até uma teoria que seriam um disco duplo.

+++ LEIA MAIS: Formada por meninos de 8 a 12 anos, Color Killer pode não ser popular na escola, mas quer conquistar o punk

Então, foi a hora de dizer a verdade. Panicland assumiu que aquilo nunca foi o Green Day. Eram apenas três garotos canadenses com muito tempo livre! De qualquer maneira, ouça uma das músicas falsas: