2020 terá o renascimento do rock? O que esperar dos discos de Ozzy Osbourne, Pearl Jam e The Strokes

Grandes nomes do rock têm retorno marcado para este ano, e podem trazer uma nova perspectiva ao gênero assolado pela tentativa infinita de reprodução de um Era de Ouro há muito encerrada

Redação Publicado em 20/02/2020, às 12h25

None
Capa dos discos: Ordinary Man, do Ozzy Osbourne; Gigaton, do Pearl Jam e The New Abnormal, do The Strokes (Fotos:Reprodução)

Em 2020, grandes nomes de diferentes épocas e vertentes do rock têm retorno programado. Com discos de músicas inéditas, Ozzy Osbourne, Pearl Jam e The Strokes devem tentar ressucitar um gênero que há muito tempo se mostra estático, em busca não do novo, mas sim da reprodução daquilo que fez sucesso anos atrás.

O ex-vocalista do Black Sabbath retorna uma década após o lançamento de Scream, álbum anterior da carreira solo dele. O grupo liderado por Eddie Vedder também volta depois de um bom tempo longe do estúdio: sete anos desde o lançamento de Lightning Bolt. E é também depois de sete anos que a banda comandada pelo vocalista Julian Casablancas lançará o sucessor de Comedown Machine.

Com a proximidade dos lançamentos, decidimos olhar para cada um desses novos discos e, com base em singles e informações já reveladas, tentar entender o que podemos esperar de cada um deles. Será que eles serão o suficiente para colocar o trem do rock de novo em movimento?

Ozzy Osbourne - Ordinary Man

Quem acompanha a carreira e a vida do Príncipe das Trevas sabe que, desde 2019, o ex-vocalista do Black Sabbath tem enfrentado incontáveis problemas de saúde. Desde uma pneumonia, até infecção no dedo, uma queda inoportuna e, mais recentemente, o diagnóstico de Mal de Parkinson, que resultou no cancelamento da turnê norte-americana de 2020.

Então, como visto pelo nome do disco, e também pelas letras dos singles já revelados, o novo lançamento do Ozzy deve revelar uma faceta mais mortal e vulnerável do ícone do metal, com composições que devem abordar temas pessoais de melancolia e sofrimento de não ser mais quem ele já foi um dia.

+++LEIA MAIS: Ozzy Osbourne diz que não tem medo da morte

Apesar do tema delicado e do estado de saúde sensível, as músicas já compartilhadas deixam claro que o cantor ainda tem muita potência e força para compor hits barulhentos e acelerados.

"Under The Graveyard" foi a primeira faixa divulgada, no fim de 2019, e já deu uma gostinho do que os fãs podiam esperar: riffs pesados e cativantes, e um vocal impactante como sempre. Nenhuma decepção a vista. O vídeo lançado para acompanhar a canção percorre uma época da vida de Ozzy repleta de excessos e autodestruição.

E não esperou muito para mostrar um pouco mais do que está por vir com Ordinary Man. Logo no começo de 2020, compartilhou "Straight To Hell", mais uma música que não deixou a desejar no peso e na energia (tanto na sonoridade quanto na letra), além de ter ganhado um clipe bem anárquico e divertido.

No mesmo mês, alguns dias depois, veio a música que carrega o título do disco, para desmontar com delicadeza toda a pose de ícone do caos e da escuridão que Ozzy sempre prezou. A balada de piano e o dueto com Elton John desceram o cantor (nem que por um breve momento) do trono de Príncipe das Trevas, e o posicionou no meio dos meros mortais.

Em contraponto ao single anterior, "It's A Raid" chega para recuperar a velocidade prometida pelas faixas anteriores. A parceria ente Ozzy e Post Malone, uma fusão da velha geração com novos artistas, aparece como uma tentativa de quebrar o gesso no qual o rock se encontrava.

Ordinary Man chega às plataformas de streaming na próxima sexta, 21, e terá o produtor Andrew Watt na guitarra, enquanto Duff McKagan, do Guns N’ Roses, e Chad Smith, do Red Hot Chili Peppers, assumiram, respectivamente, o baixo e a bateria nas gravações.

+++LEIA MAIS: Ozzy Osbourne aparece de bengala e calado no Grammy 2020 - e assusta a internet

Os especialíssimos Tom Morello, do Rage Against The Machine, e Slash, do Guns N' Roses, também fizeram parte do time.


Pearl Jam - Gigaton

Em janeiro, Eddie Vedder e companhia compartilharam a primeira música que mostrou aos fãs o que esperar do disco. E eles com certeza escolheram a dedo a faixa de retorno. Algumas pessoas gostaram de "Dance Of The Clairvoyants", outras (várias?) nem tanto.

+++LEIA MAIS: Pearl Jam elogia cover de banda brasileira da música nova ‘Dance of the Clairvoyants’: ‘Impressionante’

Mas é válido exaltar, pelo menos, a tentativa do Pearl Jam em buscar algo novo, nem que seja novo apenas para o escopo do som deles. Junto com as guitarras já conhecidas, a banda acrescentou uma pegada techno, com sintetizadores bem marcados e destacados, e uma mistura peculiar.

No entanto, com o single mais recente, "Superblood Wolfmoon", lançado no meio de fevereiro, a banda deixou claro que não pretende ousar tanto assim. A faixa apresenta um retorno à zona de conforto, com aquele rock já familiar a qualquer um que conheça os principais hits do grupo. 

Gigaton tem data de lançamento marcada para 27 de março, e, com base nas canções compartilhadas, tem tudo para agradar a fãs mais tradicionais, e também ousadia o suficiente para tentar conquistar ouvintes mais jovens, e esperar que um lado não empurre o outro.


The Strokes - The New Abnormal

O Strokes é a banda nessa lista que menos revelou detalhes sobre o novo projeto. O grupo liderado por Julian Casablancas divulgou, até agora, uma imagem que mostra parte da obra Bird On Money, do pintor norte-americano Jean-Michel Basquiat, que será a capa do disco.

+++LEIA MAIS: The Strokes: discografia dos arruaceiros de Nova York comentada

Assim como o Pearl Jam, a banda escolheu uma música atípica para mostrar aos fãs o que está por vir. Foi em 11 de fevereiro que eles revelaram "At The Door", faixa muito mais calma do que o rock nova-iorquino que concretizou eles como um dos principais nomes da música no fim dos anos 1990.

A canção, um tanto quanto meditativa, é comandada por sintetizadores e um vocal calmo e até monótono, mas que cativa o ouvinte do começo ao fim. E para melhorar ainda mais, a composição ganhou um clipe incrível em animação, totalmente inspirado pelas ilustrações da revista Heavy Metal e as ilustrações dos anos 1980.

Uma semana depois, o Strokes lançou "Bad Decisions", faixa que deixa de lado qualquer grau de ousadia, e remete diretamente ao som deles que conquistou uma legião de fãs no passado, e que poderia ter sido retirada de qualquer época da discografia do grupo.

Assim como o lançamento anterior, a música veio acompanhada por um vídeo que tem tanto para falar quanto a própria canção.

+LEIA MAIS: Polícia tenta encerrar show do The Strokes e banda responde com New York City Cops; assista

The New Abnormal deve chegar às plataformas de streaming no dia 10 de abril.


+++ SESSION ROLLING STONE: RUBEL TOCA MANTRA