Rock in Rio 2019: Foo Fighters mostra porque é a escolha perfeita para liderar os principais festivais do mundo

A banda criada e comandada por Dave Grohl provou que merece o título de uma das maiores bandas de rock

Igor Brunaldi Publicado em 29/09/2019, às 02h27

None
Dave Grohl do Foo Fighters (Foto: Renan Olivetti/ I Hate Flash)

Se tem uma banda (além do Weezer) que vai voltar para casa com a sensação de missão cumprida, é o Foo Fighters. A banda demonstrou que merece completamente o posto de atração principal dos maiores festivais do mundo, como o próprio Rock in Rio.

O show do grupo liderado por Dave Grohl é o maior e melhor exemplo de um show de rock. Não dá para ser mais rock n’ roll que eles. De verdade.

+++ LEIA MAIS: Foo Fighters assume papel de protagonista e Titãs se abrem ao novo: o que esperar do 2º dia de Rock in Rio

Brutal, barulhento e visceral, o grupo domina o palco e a plateia com maestria, sem demonstrar muito esforço ou cansaço depois de mais de quase duas horas em cima do Palco Mundo.

E o Foo Fighters percorreu a própria discografia inteira. Assim como Grohl prometeu no começo: “Vocês querem todos os discos? A gente toca todos os discos”, garantiu. Dito e feito.

+++ LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: Após Noel Gallagher pedir pelo fim do Foo Fighters, banda estampa rosto de ex-oasis na bateria

Com isso em mente, todas as canções, como “One By One”, “The Pretender”, “My Hero” e “Monkey Wrench”, tal qual as mais recentes do disco Concrete and Gold, foram executadas com tanta intensidade que soaram daquele jeitinho impactante e grandioso que só as últimas músicas costumam ter.

Até “Under The Pressure”, do Queen, deu um jeito de aparecer por ali, cantada pelo baterista Taylor Hawkins. E falando nele, o músico também provou que não só se sente totalmente confortável sentado atrás de uma bateria, como também sabe fazer solos intermináveis e impressionantes.

+++ LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: 34 anos depois, Whitesnake evoca noite de rock com hits românticos

E não seria um show do Foo Fighters se Grohl não chamasse alguém da plateia para fazer uma graça em cima do palco. Dessa vez, o felizardo escolhido aproveitou o momento para pedir a namorada em casamento. E será que alguém conseguiria dizer “não” nessa situação? Bem improvável.

Depois de tantas coisas acontecerem dentro do período de tempo de apenas um show, a banda saiu vitoriosa do festival, e claramente satisfeita (provavelmente esgotada também) por saber que o título de uma das maiores bandas de rock do mundo é totalmente merecido


A Rolling Stone Brasil está no Rock in Rio 2019 a convite da Natura Musical